terça-feira, 30 de agosto de 2016

Portugal & Estado Novo - 'A FORÇA IGNORADA DAS COMPANHEIRAS', de Gina de Freitas - Lisboa 1975 - Raro



Portugal & Estado Novo - Depoimentos de companheiras de políticos e presos da oposição na ditadura de Salazar e Caetano


'A FORÇA IGNORADA DAS COMPANHEIRAS'
De Gina de Freitas
Plátano Editora
Losboa 1975


Livro com 196 páginas e em muito bom estado de conservação.
De difícil localização.
Raro.


Da contra-capa:
"A História dos homens é uma longa história de combates que constituem, no seu conjunto, a luta de classes. Combates contra a ignorância, contra o obscurantismo, contra a prepotência, contra a miséria, contra a exploração.
Pretendemos com esta colecção dar testemunho de alguns desses combates, procurando, ao mesmo tempo, que as obras nele incluídas participem, à sua maneira, nessa luta.
A iniciá-la, um volume em que a jornalista Gina de Freitas nos descreve, pela voz dos que a viveram, a participação de mulheres portuguesas no combate revolucionário pelo derrube do fascismo."



Do ÍNDICE:
- UM LIVRO DE AMOR - Por Baptista-Bastos;

- "MUITAS VEZES É PRECISO CERRAR OS DENTES E ANDAR PARA A FRENTE" (Alda Magro);
- "A VIDA DELE TINHA QUE SER AQUELA. A VIDA DO POVO" (Maria Júlia);
- "A MINHA VIDA FOI UM PESADELO" (Maria Rodrigues Pato);
- "O TRABALHO É DE FACTO A MELHOR AJUDA PARA OS DESGOSTOS" (Margarida Tengarinha);
- "CONFIAR NO PARTIDO COM A CERTEZA DE VENCER" (Laura Serra);
- "DEI O QUE PUDE E O QUE SOUBE AO MEU PARTIDO" (Catarina Ramos Machado Rafael);
- "DURANTE 25 ANOS ANDEI SEMPRE A CAMINHAR PARA AS CADEIAS" (Flora Magro);
- "E ASSIM PASSAVAM OS MESES QUE SE PODIAM SOMAR POR ANOS" (Aida Paulo);
- "A ALEGRIA DA LIBERTAÇÃO NÃO É TANTO POR MIM MAS PELO POVO PORTUGUÊS" (Deolinda Francisca Franco);
- "ENFIM, SINTO QUE A MINHA SAÚDE ESTÁ ARRUINADA" (Úrsula Machado);
- "É MUITO CEDO PARA ESQUECERMOS TUDO O QUE ELES FIZERAM" (Isabel Vilhena);"
- "COMECEI A GANHAR O PÃO QUE COMIA, AOS 8 ANOS" (Olívia Maria);
- "UMA VIDA MELHOR, MAIS IGUAL PARA TODOS" (Teodósia da Conceição Gregório);
- "AOS 9 ANOS UM ORDENADO DE DEZ TOSTÕES POR SEMANA" (Conceição Matos);"
- "ERA IMPOSSÍVEL NÃO HAVER REVOLTA, TÃO MÁS ERAM AS NOSSAS CONDIÇÕES DE VIDA" (Maria Lourença Cabecinha);
- "DEZANOVE ANOS DE CLANDESTINIDADE" (Adelina da Conceição Ferreira Martins);
- "QUE IMPORTA MORRER PARA BEM DOS OUTROS?" (Dolores da Conceição Campos);
- "SE NÃO FOSSE A MINHA FAMÍLIA MORRIA À FOME" (Ana Francisco Figo);
- "TINHAMOS DIAS EM QUE NÃO HAVIA CÔDEA DE PÃO EM CASA PARA COMERMOS" (Vitória Cândida Cartaxo);
- "PARA QUE NINGUÉM MAIS VIVA NA ANGÚSTIA EM QUE EU VIVI" (Odete Carvalho dos Santos);
- "A VIDA DO EXILADO É MUITO DIFÍCIL" (Estela Piteira Santos);
- "O QUE QUER QUE EU FAÇA, NÃO ME APETECE CHORAR' (Ermelinda Solnado Porto Oneto);
- "BEM, EU CREIO QUE TODAS NÓS VIVEMOS MAL EM SITUAÇÕES SEMELHANTES" (Maria Antonieta Coutinho);
- "AMBOS MORRERAM VENCIDOS" (Maria Margarida Lima);
- "A ÚNICA COISA QUE PENSEI SEMPRE FOI EM RESISTIR" (Faustina Candeias);
- "ERA SÓ A COMPANHEIRA DO MEU MARIDO" (Mertelina da Conceição Veiga);
- "A VERDADE É QUE TODAS AS EXPERIÊNCIAS FORAM IMPORTANTES" (Antónia Lapa);
- "A MAIORIA DAS PESSOAS NEM IMAGINA O QUE FOI A LUTA DAQUELAS MULHERES" (Cecília Areosa Feio);



Preço: 25,00€;

Sem comentários:

Enviar um comentário

APÓS A SUA MENSAGEM INDIQUE O SEU E-MAIL E CONTACTO TELEFÓNICO
After your message, please leave your e-mail address or other contact.