quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Literatura Portuguesa - Colecção 'BRINDES DE NATAL' dos Estúdios COR (1957 / 1973) - 17 Volumes - MUITO RARO;




Literatura Portuguesa - Uma colecção única no género que não foi nem reeditada ou repetida, com alguns dos mais conhecidos e consagrados escritores nacionais e artistas plásticos


Colecção 'BRINDES DE NATAL' dos Estúdios COR (1957 / 1973)
- 17 Volumes - Colecção completa (1.a Edição).

Edição Estúdios COR
Lisboa


Todos os exemplares estão em muito bom estado de conservação. Excelentes.
De muito, muito difícil localização. Raro completa.
MUITO RARO.


Uma colecção que edita obras de grandes vultos das letras portuguesas e artistas plásticos consagrados:
Os escritores José Rodrigues Migueis, Domingos Monteiro, Alves Redol, José Gomes Ferreira, Jorge de Sena, David Mourão-Ferreira, Alphonse Daudet, Urbano Tavares Rodrigues, Sophia de Mello Breyner Andersen, Isabe da Nóbrega, Natália Nunes, Augusto Abelaira, Manuel da Fonseca, Odylo Costa Filho, Manuel Ferreira, João Palma-Ferreira e José Saramago;
E os artistas plásticos Bernardo Marques, Manuel Lapa, Luís Filipe de Abreu, Júlio Pomar, Paulo-Guilherme, António Pimentel, Cipriano Dourado, Sá Nogueira, Lima de Freitas, Maria Keil, Maria da Luz Lino, Carlos Amado, Catherine Labey e Fernando de Azevedo;


LITERATURA PORTUGUESA
- Colecção de livros com textos e ilustrações excepcionais:


1. - 'O NATAL CLANDESTINO'
De José Rodrigues Migueis
Desenhos de Bernardo Marques

Edição Estúdios COR
LISBOA 1957

2. - 'O SORTILÉGIO DO NATAL'
De Domingos Monteiro
Desenhos de Manuel Lapa

Edição Estúdios COR
Lisboa 1958

3. - 'NOITE ESQUECIDA'
De Alves Redol
Desenhos de Luís Filipe de Abreu

Edição Estúdios COR
Lisboa 1959

4. - 'O MUNDO DESABITADO'
De José Gomes Ferreira
Desenhos de Júlio Pomar

Edição Estúdios COR
Lisboa 1960

5. - 'A NOITE QUE FORA DE NATAL'
De Jorge de Sena
Desenhos de Paulo-Guilherme

Edição Estúdios COR
Lisboa 1961

6. - 'O VIÚVO'
De David Mourão-Ferreira
Desenhos de António Pimentel

Edição Estúdios COR
Lisboa 1962

7. - 'AS TRÊS MISSAS REZADAS '
De Alphonse Daudet
Desenhos de Manuel Lapa

Edição Estúdios COR
Lisboa 1963

8. - 'A SAMARRA'
De Urbano Tavares Rodrigues
Desenhos de Cipriano Dourado

Edição Estúdios COR
Lisboa 1964

9. - 'OS TRÊS REIS DO ORIENTE'
De Sophia de Mello Breyner Andersen
Desenhos de Manuel Lapa

Edição Estúdios COR
Lisboa 1965

10. - 'JÁ NÃO HÁ SALOMÃO...'
De Isabel da Nóbrega
Desenhos de Sá Nogueira

Edição Estúdios COR
Lisboa 1966

11. - 'AO MENOS UM HIPOPÓTAMO'
De Natália Nunes
Desenhos de Lima de Freitas

Edição Estúdios COR
Lisboa 1967

12. - 'ODE (Quase) MARÍTIMA'
De Augusto Abelaira
Desenhos de Maria Keil

Edição Estúdios COR
Lisboa 1968

13. - 'TEMPO DE SOLIDÃO'
De Manuel da Fonseca
Desenhos de Maria da Luz Lino

Edição Estúdios COR
Lisboa 1969

14. - 'HISTÓRIA DE SEU TOMÉ - Meu Pai e Minha Mãe Maria'
De Odylo Costa Filho
Desenhos de Carlos Amado

Edição Estúdios COR
Lisboa 1970

15. - 'A NOSTALGIA DO SENHOR LIMA'
De Manuel Ferreira
Desenhos de Cipriano Dourado

Edição Estúdios COR
Lisboa 1971

16. - 'OS CRÂNIOCLASTAS'
De João Palma-Ferreira
Desenhos de Catherine Labey

Edição Estúdios COR
Lisboa 1972

17. - 'O EMBARGO'
De José Saramago
Desenhos de Fernando de Azevedo

Edição Estúdios COR
Lisboa 1973



Preço: 250,00€; (LOTE COMPLETO)

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

África & Cultura - 'FASCÍNIO DE MOÇAMBIQUE', de José Pádua - Maputo 2002 - MUITO RARO;






África & Cultura - Uma boa amostra da obra deste artista plástico que viveu para o continente africano e para Moçambique


'FASCÍNIO DE MOÇAMBIQUE'
De José Pádua
Textos de António Sopa, Fernando Couto, Mia Couto,
Malangatana, Álvaro Henriques, José Forjaz, Augusto Cabral e Naguib.
Edição Ndjira
Maputo 2002


Livro do tipo Álbum, capas duras e sobrecapa, com 92 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação. Como novo. Excelente. Edição patrocionada pelo BCI (Banco Comercial e de Investimentos) e Telecomunicações de Moçambique.
De muito, muito difícil localização.
MUITO, MUITO RARO.


O AUTOR:
"JOSÉ CARLOS PÁDUA nasceu na cidade da Beira (Moçambique) em 13 de Maio de 1934, onde viveu até 1977. Em 1966 foi eleito pelo jornal 'A TRIBUNA' o artista plástico moçambicano do ano, pelo assinalável e multifacetado conjunto de obras que nesse mesmo ano realizou como pintor, decorador, ilustrador e gravador.

Entre 1974 e 1978 trabalhou exclusivamente para a Galeria de Arte R. Rennie, Harare, Zimbábue.

A partir de 1977 passou a residir em Portugal, mantendo no entanto uma forte ligação com Moçambique, onde realizou exposições individuais de pintura em 1996 e 1998.

Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian em 1979, 1980 e 1981, num curso de litografia e gravura em metal.

Em 1980 e 1981 foi distinguido pela Câmara Municipal de Lisboa com o 2. e o 1. Prémios, respectivamente, em exposições colectivas sobre temas de Lisboa.

É autor de inúmeras ilustrações Em jornais, revistas e livros e de trabalhos na área da escultura e da azulejaria, bem como de murais em cimento em Moçambique (aeroportos do Maputo e da Beira, Banco Pinto & Sotto Mayor, Montepio de Moçambique, Banco de Crédito Comercial e Industrial, Cinema Novocine e piscina do complexo desportivo dos Caminhos de Ferro da Beira, assim como em várias residências particulares) e no Bank of Lisbon & South Africa em Joanesburgo.

Está representado no Museu Nacional de Artes Plásticas (Maputo), no Museu de Pintura (Beira), no Museu Nacional de Arte Contemporânea (Lisboa) e em várias coleções particulares em Moçambique, Portugal, Espanha, Suécia, Brasil, Canadá, EUA, Reino Unido, Japão, Israel, África do Sul, Zimbábue, Venezuela, etc.

Tem participado em inúmeras exposições colectivas em Portugal e no estrangeiro."




Do ÍNDICE:

SOBRE JOSÉ PÁDUA
- Palavras com Flores para José Pádua
António Sopa
- Pádua, pintor por graça e castigo dos Deuses
Fernando Couto
- Pintar a Poesia
Mia Couto
- Revendo na sua obra o jovem Pádua
Malangatana
- José Pádua um pintor de afectos
Álvaro Henriques
- Pádua
José Forjaz
- A obra reflecte a personalidade poética
Augusto Cabral
- Falar de Pádua?...
Naguib

FASCÍNIO DE MOÇAMBIQUE

Biografia

Exposições individuais



Preço: 350,00€;

sábado, 11 de novembro de 2017

Ultramar - 'MOEDA DE TIMOR', de J. Ferrero Vaz - Lisboa 1964 - MUITO RARO;



Ultramar - Uma obra exaustiva do papel moeda de Timor ao longos dos séculos, constituindo um livro de grande importância sobre a temática


'MOEDA DE TIMOR'
De J. Ferrero Vaz
Edição do Centenário do Banco Nacional Ultramarino
Lisboa 1964


Livro com 172 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação. Excelente.
De muito, muito difícil localização.
MUITO, MUITO RARO.


Uma obra muito ilustrada em extra-texto com espécimens de moeda metálica e de papel-moeda (notas e cédulas reproduzidas a cores) desde a Primeira República e incluindo a ocupação japonesa.


Preço: 120,00€;

Moçambique & Independência - 'A FRELIMO E A LUTA REVOLUCIONÁRIA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL' - Lourenço Marques 1975 - MUITO RARO;



Moçambique & Independência - Uma obra com toda a informação da história e actuação da FRELIMO, dos seus dirigentes e guerrilheiros desde a luta de libertação à criação do novo país a 25 de Junho de 1975


'A FRELIMO E A LUTA REVOLUCIONÁRIA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL'
FRELIMO
Edição da FRELIMO
Lourenço Marques 1975


Livro com 186 páginas, capas duras, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação. Excelente.
De muito, muito difícil localização.
MUITO, MUITO RARO.



Do ÍNDICE:

EVOCANDO A MEMÓRIA DO PRESIDENTE DA FRELIMO, EDUARDO CHIVAMBO MONDLANE
- Apontamentos da Luta Armada
- Fundação da FRELIMO
- Estatutos e Programa da Frente de Libertação de Moçambique - FRELIMO
- A Luta Armada
- Das contradições no seio da FRELIMO
- Organização da Mulher Moçambicana
- Cronologia dos principais acontecimentos da guerra popular de libertação
- As zonas libertadas
- Manifestações Culturais do Povo Moçambicano
- Acordo de Lusaka
- Governo de Transição
- Do Rovuma ao Maputo



Preço: 77,50€;

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Angola - Guerra do Ultramar & PIDE/DGS - Revista 'CONTINUIDADE', n. 2, de Abril/Junho de 1972 (HOMENAGEM AOS FLECHAS MORTOS PELA PÁTRIA) - MUITO RARA;





Angola - Guerra do Ultramar & PIDE/DGS - Informação sobre as actividades da DGS, sucessora da PIDE, nas operações de recolha de informações e de combate através dos agrupamentos de FLECHAS, forças paramilitares sob a orientação desta polícia


Revista 'CONTINUIDADE', n. 2, de Abril/Junho de 1972
(HOMENAGEM AOS FLECHAS MORTOS PELA PÁTRIA)



Revista editada em Lisboa pela Direcção Geral de Segurança, com 48 páginas, muito ilustrada e em muito bom estado de conservação. Excelente.
De muito, muito difícil localização.
MUITO, MUITO RARA.


Temas em destaque:

- Eles não foram esquecidos
'OS MINISTROS DO INTERIOR E DO ULTRAMAR DESCERRARAM PLACAS EVOCATIVAA DE QUATRO ELEMENTOS DA DGS MORTOS NO ULTRAMAR'
A 12 de Maio de 1972, na sede da DGS em Lisboa, foi descerrada uma placa com os nomes de Daniel Nunes Rama, José Ferreira Coelho, José Ferro e Paulino Victor, morros em combate contra guerrilheiros independentistas nas colónias africanas.
Presentes os ministros Do Interior e do Ultramar, Dr. António Gonçalves Rapazote e Prof. Dr. Joaquim da Silva Cunha, respectivamente.
A guarda de honra foi constituída por quatro FLECHAS, que vieram a Lisboa galardoados por acções relevantes na luta contra o terrorismo em Angola: António Chipopa, Manginela Malanga, Mateus Manuel Mendonça e Sofrimento da Cruz.


- 'HOMENAGEM AO GENERAL COSTA GOMES'
Homenagem dos FLECHAS, na sede da DGS em Luanda, com a presença do Director Provincial em Angola, São José Lopes, com a oferta de uma arma automática 'Kalasnikov' soviética, capturado aos guerrilheiros angolanos.

- 'PRÉMIO GOVERNADOR GERAL DE ANGOLA'
Foram distinguidos o subinspetor da DGS César Pedro Ferreira e o FLECHA Manuel Chuissa, comandante do agrupamento no leste desta província.

- 'CARTA DE ANGOLA - Heróis do Matos'
Por António Maria Ferreira, chefe de brigada da DGS
(Luao, Outubro de 1971)

- 'DIA DO FLECHA - Cerimónias em Angola'
Até que a paz volte a reinar em todas as aldeias de Angola
Exposição de material de guerra capturado ao inimigo
Sala Dr. São José Lopes
Telegramas e mensagens de felicitações

As cerimónias decorreram em Henrique de Carvalho no dia 19 de Março, com a presença do comandante da Zona Militar do Leste, General Bettencourt Rodrigues e do Director Provincial da DGS em Angola, São José Lopes.
O Director-Geral da DGS, Major Silva País, enviou uma mensagem que foi lida aos presentes.

- 'ELEMENTOS DA DGS DÃO A CIDA PELA PÁTRIA'
1. - Agente Daniel Nunes Rama (morto numa emboscada da UPA no norte de Angola);
2. - Comandante de Agrupamento de FLECHAS, José Ferro - Morto em combate, a 27 de Fevereiro de 1971, aquando de um assalto a uma base do MPLA na zona de Gago Coutinho;
3. - Sub-Chefe do corpo de FLECHAS, Paulino Victor, tombou em combate a 5 de Abril de 1972, durante um assalto a um acampamento do inimigo no distrito de Moxico;

- 'FLECHAS - "TURRAS" '
Reportagem lida aos microfones do 'Rádio Clube do Bié', no DIA DO FLECHA.


Preço: 0,00€; (Indisponível)

Angola - Descolonização & História - 'O CHÃO DAS RAÍZES', de Leonel Cosme - Porto 2009 - RARO;



Angola - Descolonização & História - Uma magnífica análise do drama dos angolanos brancos e mulatos, causado pelos excessos ideológicos, políticos e programáticos da revolução angolana no pós independência sob a condução do MPLA


'O CHÃO DAS RAÍZES'
De Leonel Cosme
Capa de Pires Laranjeira
Edição UNICEPE
Porto 2009


Livro com 256 páginas e em muito bom estado de conservação. Excelente. Exemplar assinado pelo autor.
De muito difícil localização.
RARO.


Da contracapa:
"Depois da hora final da colonização portuguesa, as últimas gerações de colonos que desde a segunda metade do século XIX tinham sonhado Angola como uma terra de promissão onde poderiam confiadamente fixar as suas raízes, e de repente foram acordados para uma realidade que nunca entrara no sonho, tiveram de responder a uma pergunta crucial: e agora?

Baseado em factos, vivências e memórias de uma comunidade emblemática do Sul de Angola, mas que são genericamente comuns às centenas de milhares de ex-colonos sobreviventes, em África e longe dela, da separação das águas que configuram a realidade e o sonho, este romance centra-se em três personagens fulcrais que responderam assim àquela crucial pergunta: 'Agora temos de escolher para chão das raízes uma terra donde nunca seremos expulsos.' - 'O meu chão é este onde nasci e continuarei, contra todos os ventos e marés.' - 'Sem tempo para esperar por outro tempo, temos de nos reinventar.'

Com este romance, que apostila à história o que, em Portugal e Angola de 1976-1978, continuou depois do fim, encerra-se uma estória que começou, de facto, a ser contada com o livro 'A REVOLTA', publicado em 1963."



O AUTOR:
"LEONEL COSME
Nasceu em Guimarães, onde viveu até aos 16 anos. Em 1950 parte com a família para Angola, fixando-se na cidade de Sá da Bandeira, actual Lubango, até aos finais de 1975. Aí funda, em 1960, com Garibaldino de Andrade, as publicações 'IMBONDEIRO'. Com a invasão sul-africana e ocupação da cidade pelas forças coligadas da África do Sul, UNITA, FNLA e ELP, decide partir com a mulher e duas filhas menores para Portugal, onde acaba por permanecer até 1981 e retorno à actividade jornalística que exercera em Angola - designadamente no 'Rádio Clube da Huíla' e no diário 'A PROVÍNCIA DE ANGOLA' - agora ao serviço da RDP/Norte. Em 1982 volta a Angola, como cooperante, cumprindo um contrato de trabalho administrativo em Luanda, que o reteve até meados de 1987.

De regresso a Portugal e radicado em Gondomar, trabalha no semanário 'ÁFRICA', de Lisboa, extinto o qual decide aposentar-se e dedicar-se inteiramente à actividade literária, fazendo investigação, colaborando em revistas e jornais, participando em congressos e colóquios nacionais e estrangeiros, escrevendo livros cujo tema dominante, em ficção e ensaio, se fixa na tríade de Angola, Portugal e Brasil.

Com este romance 'O CHÃO DAS RAÍZES' encerra uma pentalogia iniciada em 'A REVOLTA', prosseguindo a temática da colonização portuguesa no sul de Angola, cuja primeira obra - 'QUANDO A TORMENTA PASSAR' - foi publicada precisamente há 50 anos."


AS OBRAS DO AUTOR:

Ficção
- 'UM HOMEM NA RUA', novela, edição ORION, Lisboa 1959;
- 'QUANDO A TORMENTA PASSAR', contos, Gráfica da Huíla, Sá da Bandeira 1959;
- 'A DÚVIDA', novela, Publicações IMBONDEIRO, Sá da Bandeira 1961;
- 'A REVOLTA', romance, Publicações IMBONDEIRO, Sá da Bandeira 1963;
- 'A TERRA DA PROMISSÃO', romance, Edições Afrontamento, Porto 1988;
- 'A HORA FINAL', romance, Edições Afrontamento, Porto 1992;
- 'A SEPARAÇÃO DAS ÁGUAS', romance, Edição Campo das Letras, Porto 2007;
- 'O CHÃO DAS RAÍZES', romance, Edição UNICEPE, Porto 2009;

Poesia
- 'ECCE HOMO', Gráfica da Huíla, Sá da Bandeira 1973;

Ensaio
- 'A EXPANSÃO ULTRAMARINA PORTUGUESA NO CONTEXTO DO COLONIALISMO EUROPEU', Edição da Câmara Municipal, Sá da Bandeira 1974;
- 'CULTURA E REVOLUÇÃO EM ANGOLA', Edições Afrontamento, Porto 1978;
- 'AGOSTINHO NETO - A poesia e o homem', Edição INALD, Luanda 1984;
- 'REENCONTRO COM PORTUGAL NO BRASIL', Edição Cooperativa Gesto, Porto 2000;
- 'CRIOULOS E BRASILEIROS DE ANGOLA', Editora Novo Imbondeiro, Lisboa 2002;
- 'AGOSTINHO NETO E O SEU TEMPO', Edição Campo das Letras, Porto 2004;
- 'MUITAS SÃO AS ÁFRICAS', Editora Novo Imbondeiro, Lisboa 2006;
- 'OS PORTUGUESES - Portugal a descoberto', Profedicões, Porto 2007;


Preço: 35,00€;

África & Botânica - 'PLANTAS ÚTEIS DE ANGOLA', de Romeu Mendes dos Santos - Lisboa 1989 - Raro;



África & Botânica - Um obra com importante informação sobre a flora angolana


'PLANTAS ÚTEIS DE ANGOLA'
(Contribuição iconogràfica)

De Romeu Mendes dos Santos
Edição do Instituto de Investigação Científica
Lisboa 1989


Livro com 78 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
Raro.



Preço: 42,50€;