quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Angola - Revista 'NOTICIA', n. º 364, de 26 de Novembro de 1966 - MADALENA IGLÉSIAS - RARA




Angola - Madalena Iglesias - Guerra no continente africano


Revista 'NOTICIA' - n.º 364, de 26 de Novembro de 1966
Na capa aparece a cantora Madalena Iglesias.

Editada em Luanda, com 98 páginas, muito ilustrada e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
RARA.


Temas deste exemplar:
- 'MADALENA IGLÉSIA GRAVA MAIS UM DISCO';
- ERNESTO LARA FILHO - 'Rua do Comércio (Nova Lisboa)';
- 'A CARCASSA DO "28 DE MAIO" AGONIZA NA COSTA DO ESQUELETO'
"28 DE MAIO" - O Navio foi atraído para as minas de Diamantes'
Depoimentos de - Francisco José Namorado, Angerino de Sousa, Capitão Pereira e Eng. Pompílio da Cruz;
- 'SE UM ELEFANTE INCOMODA MUITA GENTE...';
- 'O porto DE LUANDA NÃO PODE CONTINUAR ASSIM!';
- 'O CONGO EM CHAMAS' (Reportagem ilustrada);
- 'QUANTO PESAM OS LIVROS DO ESTUDANTE?;
- 'DE REBOCHO VAZ ANGOLA ESPERA SÓ TUDO QUANTO FOR HUMANAMENTE POSSÍVEL';
- 'TORRES VEDRAS - ...Boa Cepa!';
- 'SENHOARA DO CABO PADROEIRA DOS PESCADORES ROGAI POR NÓS' (Reportagem fotográfica);
- 'LUANDA À CHUVA';
- 'A VELA É NOSSA
José Quina campioníssimo na classe "finns";
- 'NUMA HUMILDE ALDEIA DA METRÓPOLE D. MOISÉS PENSA EM ANGOLA...';



Preço: 15,00€

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Angola & Literatura - 'A FULA', de Alexandre Cabral (Edição Imbondeiro - Sá da Bandeira 1963)



Angola & Literatura - Uma colecção de Livros angolana, inédita e extraordinária


'A FULA'
De Alexandre Cabral
Edição Imbondeiro
Angola - Sá da Bandeira 1963


Livro em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


Preço: 10,00€

Portugal - 'AGARRA QUE É ESTUDANTE', de Rui Polónio Sampaio (Porto 1974)



Portugal - A repressão do estado novo sobre o mundo estudantil e universitário


'AGARRA QUE É ESTUDANTE'
De Rui Polónio Sampaio
Edição Afrontamento
Porto 1974


Livro com 56 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito dificil localização.
Muito raro.


Preço: 12,50€;

Portugal - 'O CASO DO SINDICATO METALÚRGICO DE AVEIRO', de José Afonso e Mário Brochado Coelho (Porto 1973)



Portugal - A manipulação dos sindicatos no estado novo


'O CASO DO SINDICATO METALÚRGICO DE AVEIRO'
De José Afonso e Mário Brochado Coelho
Edição Afrontamento
Porto 1973


Livro com 112 páginas e muito bom estado de conservação.


Preço: 15,00€

Portugal - 'PIDE - A história da repressão' vários autores - Lisboa 1979 - MUITO RARO



Portugal - A organização e os métodos da polícia política do estado novo


'PIDE - A história da repressão'
Vários autores
Edição do Jornal do Fundão - 1979


Livro com 218 páginas, muito ilustrado e em bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.

Uma obra excepcional, sendo esta edição a segunda, é mais difícil de obter dada a mais reduzida quantidades de livros impressos.


Preço: 32,50€

Angola & Descolonização - 'LUANDA 1974-1975 - O Movimento Estudantil', de Leonor Figueiredo - Liaboa 2012



Angola & Descolonização - A agitação estudantil fomentada pelos movimentos de libertação


'LUANDA 1974-1975 - O Movimento Estudantil'
De Leonor Figueiredo
Sinapis Editores
Lisboa 2012


Livro com 168 páginas, ilustrado e em muito bom estado de conservação. Como novo. Excelente.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


A autora realizou uma investigação sobre a conturbada luta estudantil em Luanda, entre a revolução de 25 de Abril de 1974 e a independência de Angola a 11 de Novembro de 1975.

Interessante e reveladora obra sobre os ambientes e os objectivos dos movimentos de libertação, nomeadamente a UNITA que detinha o ministério da educação no governo de transição saído dos Acordos de Alvor e o MPLA que tinha uma influência esmagadora na população luandense.

Destaque para a pesquisa documental e testemunhal que a autora realizou.


SINOPSE:
"Este trabalho pretende descrever o intenso Movimento Estudantil que surgiu em Angola após o 25 de Abril de 1974, que se manteve até depois da Independência da ex‐colónia africana. Assim, a partir de um levantamento na imprensa angolana da época, rica em notícias sobre a matéria, auxiliados por entrevistas a antigos líderes associativos e outros testemunhos, explicamos a forma como se relacionaram com os vários poderes os alunos dos liceus e das escolas técnicas, sobretudo em Luanda, o epicentro da movimentação que se estendeu a todo o território angolano nos anos da Descolonização. O foco incide nos estudantes brancos, que constituíam a maioria da população escolar dos liceus, onde tudo começou. Alguns dos estudantes, onde se incluíam alunos da Universidade de Luanda, eram elementos dos Comités Amílcar Cabral, que influenciaram o Movimento Estudantil, e depois pertenceram à Organização Comunista de Angola. Ficaram detidos pelo MPLA, sem julgamento, durante anos, nas prisões angolanas. Esta deverá ser a primeira análise sobre o Movimento Estudantil de Angola, um fenómeno que ainda não foi objecto de qualquer publicação."



Da contracapa:
"Os anos de 1974 e 1975 foram um somatório de incidentes e vandalismos nos liceus de Luanda, os quais se inseriram numa descolonização progressivamente mais violenta. Milhares des estudantes estiveram envolvidos em mania, luto académico, greves gerais, ocupações. O objectivo do órgão sindical do Movimento Estudantil, a Pró-Associação de Estudantes do Ensino Secundário de Luanda, afecta ao MPLA, era o controlo das escolas. Nos bastidores, moviam-se alunos da esquerda radical da Universidade de Luanda de actuação clandestina, mesmo no pós-25 de Abril. Eram os Comités Amílcar Cabral (CAC), que depois formaram a Organização Comunista de Angola (OCA). Neste livro, são abordadas pela primeira vez fenómenos que fazem parte da memória colectiva de muitos milhares de portugueses e angolanos."



A AUTORA:
"Leonor Figueiredo é jornalista desde 1981.
Trabalhou em vários órgãos de de comunicação social, nomeadamente no 'DIÁRIO DE NOTÍCIAS' onde esteve 21 anos e recebeu mais de 20 prémios instituídos pelo jornal. Foi também galardoada com o Prémio de Imprensa da Comissão Nacional de Luta Contra a SIDA (1997). Foi ainda distinguida em 1999 com o Prémio de Reportagem Ramiro da Fonseca, e o Prémio Bordalo da Imprensa (ambos atribuídos pela Casa de Imprensa). Em 2002, obteve o prémio de imprensa da Liga Portuguesa Contra o Cancro.
Públicou os livros:
- 'FICHEIROS SECRETOS DA DESCOLONIZAÇÃO DE ANGOLA', em 2009;
- 'SITA VALLES (Revolucionária, comunista até à morte (1951-1977)', em 2010 (Altheia editores);
É Mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.
O presente título foi tema da sua dissertação, apresentada em 2011."



DO ÍNDICE:

Nota de apresentação
De Fernando Rosas
INTRODUÇÃO

Parte I
BRANCOS EM ANGOLA NO SÉCULO XX

Parte II
O MOVIMENTO ESTUDANTIL NO SECUNDÁRIO
- Os acontecimentos em 1974
- Aprender a democracia
- A primeira ocupação dos liceus
- Luto académico
- Abrir as escolas ao povo
- Criação da Pró-AEESL
- Incidentes no liceu feminino
- Professores pró-MPLA
- Os grupos de trabalho
- Os movimentos de libertação e o ensino
- Os acontecimentos em 1975
- Críticas na imprensa
- Agitação no liceu Salvador Correia
- Ministro proíbe pró-AEESL
- 'Meninos do pão com manteiga'
- Greve geral
- Manifestações e tiros
- A segunda ocupação com desalojados
- O primeiro de Maio no dia 22
- Pró-AEESL reorganiza-se
- Quatro meses de greve
- Descolonizar o ensino

Parte III
A LIGAÇÃO À EXTREMA ESQUERDA ANGOLANA
- Os Comités Amílcar Cabral (CAC)
- Juventude do MPLA extingue a 'Pró'
- A questão da identidade

CONCLUSÃO

BIBLIOGRAFIA

ANEXOS
Recortes da imprensa e jornais estudantis



Preço: 42,50€;

Guerra colonial - 'A GUERRA SECRETA DE SALAZAR EM ÁFRICA', de José Duarte de Jesus - Lisboa 2012 (Operações secretas em África)



Guerra colonial - Apoio de organizações políticas francesas de extrema direita


'A GUERRA SECRETA DE SALAZAR EM ÁFRICA'
Aginter Press: Um rede internacional de contra-subversão e espionagem sediada em Lisboa

De José Duarte de Jesus
Publicações Dom Quixote
Lisboa 2012


Livro com 258 páginas, ilustrado e como novo.
De muito dificil localização.
Raro.


Com base nos arquivos oficiais do Ministério dos Negócios Estrangeiros, o autor, embaixador reformado, levantou a teia misteriosa que cobriu durante décadas a actividade da agência de informação AGINTER PRESS com sede em Lisboa e criada por políticos francesas e suiços, que apoiaram e realizaram diversas operações para apoiar o esforço de guerra português em África.

Esta é uma matéria muito pouco conhecida na guerra colonial e com alguma relevância, até pelos estreitos contactos da Aginter Press coma PIDE/DGS em matérias africanas.

Um livro a não perder. O autor editou outras obras, nomeadamente sobre a morte de Eduardo Mondlane.

OBRAS DO AUTOR:
- ''CASABLANCA - O INÍCIO DO ISOLAMENTO PORTUGUÊS (Memórias diplomáticas: Marrocos 1961 - 1963)';
- 'EDUARDO MONDLANE - UM HOMEM A ABATER';
- 'A GUERRA SECRETA DE SALAZAR EM ÁFRICA';



Do PREFÁCIO:
"O embaixador José Duarte de Jesus apercebeu-se da existência de uma misteriosa agência de informações, a 'AGINTER PRESS' (Agência Internacional de Imprensa), que teria colaborado bastante com a então PIDE e provavelmente teria desempenhado um papel relevante no apoio a tal iníqua acção (de assassinato de Eduardo Mondlane).
Logicamente, procurou saber algo mais sobre as realações daquela agência com a polícia política, vindo a constatar que a Aginter era constituída principalmente por elementos de extrema direita europeia de raiz fascizanter, nomeadamente por ex-membros de forças armadas alemãs, italianas e espanholas, e tinha forte participação de ex-militares franceses afastados na sequência da independência argelina, e que viam em Portugal e no respectivo regime autoritário e colonial um excelente refúgio para desenvolverem os seus objectivos, na Europa e em África, certamente colaborando com a PIDE em conúbio evidente de interesses.
Luís da Costa Correia"



Da contra-capa:
"Em 1963, começou a operar em Portugal uma agência de imprensa chamada 'Aginter Press', sediada em Lisboa.
O seu director era Yves Guillou, que usava, entre outros, o nome de Yves Guérin-Sérac. O seu número dois chamava-se Robert Leroy. Veio a descobrir-se mais tarde - particularmente depois do 25 de Abril de 1974 -, através de documentação encontrada nos seus arquivos, que a agência se tratava, na realidade, de uma cobertura para um conjunto de acções secretas, algumas a realizar em Portugal e outras noutros países europeus, mas especialmente em África e mais tarde na América Latina.
Essas operações secretas ou de cobertura tinham todas as características da guerra subversiva, no âmbito de uma rede terrorista internacional, fascizante e de cruzada anticomunista."



Da badana:
"JOSÉ MANUEL DUARTE DE JESUS
Nasceu em Lisboa, em Dezembro de 1935. Com formação académica em Ciências Históricas e Filosóficas e em Lógica Matemática, ingressou na carreira diplomática em Dezembro de 1960 e serviu como diplomata em diversos países da Europa Ocidental e de Leste, no Magrebe, África subsariana, Ásia e na América.
Doutorou-se em 2009 em História das Relações Internacionais pela Universidade Nova e é actualmente investigador integrado no Instituto do Oriente do Instituto superior de Ciências Sociais e Políticas e no IPRI, da Universidade Nova.
Tem várias obras de investigação publicadas, nomeadamente, 'EDUARDO MONDLANE - UM HOMEM A ABATER'. 'A GUERRA SECRETA DE SALAZAR EM ÁFRICA' é o seu livro mais recente."



Do ÍNDICE:
- Preâmbulo;
- PREFÁCIO - De Luís da Costa Correia;
- Abreviaturas;

O IMEDIATO PÓS-SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NA EUROPA
1. - Da organização Gehlen ao BND (intelelligence alemã);
As lutas entre o dr. John e Gehlen;
2. - Do fascismo italiano à criação do SIFAR;
O consulado de De Lorenzi;

A OAS E PORTUGAL
1. - Dum problema franco-argelino a uma dimensão internacional. A doutrina do 'Appel aux francais de Argoud' e a 'Cité Catholique';
2. - Espanha e Portugal;

A VOZ DO OCIDENTE
1. - 'La voix de l'Occident' - Uma rede privilegiada e instrumento da OAS em Lisboa;
2. - Conflitos diplomáticos com a França;

A AGINTER PRESS
1. - Constituição, Yves Guérin-Sérac e Robert Leroy;
- O acordo com a PIDE de 1966. Os cursos de guerra subversiva e o manual;
2. - A OT (Ordem e Tradição), a OACI (Organização anticomunista Internacional). Seus membros;

AS CONEXÕES MAOÍSTAS
1. - As conexões maoístas e o factor filo-chinês;
2. - O PCSML/PPS (Parti Communiste Suisse Marxiste Léniniste) / Parti Populaire Suisse) de Gérard Bulliard e as relações com Robert Leroy;
3. - Manuel rio e o CPL (Comité Portugal Libre);

AS GUERRAS DE ÁFRICA - A OPERAÇÃO ZONA LESTE
1. - Os mercenários - The Dogs of War;
2. - Os mercenários do Catanga e do Congo anti-Catanga. A ajuda militar a Tschombé e Mobutu. As relações com Roger Faulques, Claude Jacquemart e Eric Bouzin;
3. - As tentativas de golpes em Brazaville. O Presidente Fulbert Youlou;
4. - A Operação kobe;
5. - A Operação Barbarossa;
6. - Portugal e o caso do Biafra;

O PÓS 25 DE ABRIL
1. - O 11 de Março e a 'Matança da Páscoa';
O Grupo de Madrid;
2. - A Frente de Libertação dos Açores (FLA);

- Nota final;
- Agradecimentos;
- Bibliografia e fontes;
- Outras fontes;
- Anexo documental.



Preço: 32,50€;

Angola & Guerra colonial - Revista 'NOTÍCIA', n. º 392, de 10 de Junho de 1967 (FUZILEIROS EM ANGOLA)



Angola & Guerra Colonial - Revista editada em Luanda com reportagem especial dedicada aos fuzileiros


Revista 'NOTICIA', n. º 392, de 10 de Junho de 1967.
(Angola - 'OS FUZILEIROS NO RIO ZAIRE')
Editada em Luanda e muito ilustrada.


Revista em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
RARA.


Temas em destaque:
- OS FUZILEIROS NO RIO ZAIRE;
- A GUERRA DO MÉDIO ORIENTE; (Suplemento especial ilustrado com 8 páginas)
- O MOVIMENTO AFRIS;
- O MARECHAL NÃO FALOU.



Preço: 20,00€

domingo, 25 de novembro de 2012

Angola - Revista 'NOTÍCIA', n. º 373, de 28 de Janeiro de 1967 ('O MAIS ALTO EDIFÍCIO DE PORTUGAL') - Muito rara



Angola - Revista editada em Luanda com inúmera informação da vida naquela ex-colónia portuguesa


Revista 'NOTICIA', n. º 373, de 28 de Janeiro de 1967.
(Luanda - 'DO ALTO DO MAIS ALTO ARRANHA-CÉUS DE PORTUGAL')

Editada em Luanda e muito ilustrada.


Revista em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
Muito rara.


Temas em destaque:
- DO ALTO DO MAIS ALTO ARRANHA-CÉUS DE PORTUGAL;
- ACIDENTE TRÁGICO NA CELA;
- UM BICHO CHAMADO TURISTA ANDOU À SOLTA EM LUANDA;
- UM MOVIMENTADO CASO DE DIAMANTES;



Preço: 15,00€

Angola 1961 - 3 livros MUITO RAROS - Promoção temporária (GUERRA COLONIAL)



Angola 1961 - 3 livros MUITO RAROS - Promoção temporária (GUERRA COLONIAL)


Em promoção temporária, vendemos o conjunto destes três livros, muito raros e difíceis de localizar!

1. - 'BRASEIRO DA MORTE (diários dos primeiros 150 dias de terrorismo nas terras de Angola)'
De Pedro Pires, Mário de Oliveira e Orbelino G. Ferreira
Edição dos autores
Luanda 1963

Com 280 páginas, muito ilustrado e em excelente estado de conservação.
EM SEPARADO - 125,00€


2. - 'ANGOLA TERRA NOSSA (Diário do Terrorismo)'
Alencastre Telo
Edição do autor
Lisboa 1962

Com 326 páginas, muito ilustrado e em excelente estado de conservação.
EM SEPARADO - 150,00€


3. - 'LABAREDAS DE ÓDIO (Diários dos primeiros meses de terrorismo no norte de Angola)'
De Pedro Pires
Edição do autor
Lisboa 1968

Com 160 páginas, muito ilustrado e em excelente estado de conservação.
EM SEPARADO - 100,00€


Acresce os portes de envio.


Preço: 300,00€

Guerra Colonial & Ultramar - 'A PIDE/DGS NA GUERRA COLONIAL 1961-1974', de Dalila Cabrita Mateus - Lisboa 2011 - MUITO RARO;



Guerra colonial & PIDE/DGS - A actividade, estratégia e organização da polícia política nas ex-colónias de Angola, Guiné e Moçambique


'A PIDE/DGS na guerra colonial 1961-1974'
De Dalila Cabrita Mateus
Edição Terramar
Lisboa 2011


Livro com 464 páginas, muito ilustrado e como novo Excelente.
De muito, muito difícil localização.
MUITO, MUITO RARO.


A autora editou mais um livro com base nas suas pesquisas académicas sobre a guerra colonial, com destaque para a actividade, estratégia e organização da PIDE nas ex-colónias, na luta e prevenção contra os diversos movimentos de libertação que enfrentavam Portugal de armas na mão e os países vizinhos.

Livro muito interessante e completo sobre esta temática.


Da contracapa:
"Trinta anos após o 25 de Abril de 1974, surge o primeiro trabalho de grande fôlego histórico sobre uma das épocas mais terríveis da história de Portugal: o período (1961-1974) da guerra colonial em três frentes (Angola, Guiné e Moçambique).

O trabalho agora apresentado sob a forma de livro corresponde, no essencial, à tese de Doutoramento da autora, no ISCTE, e constitui a síntese de uma longa e difícil investigação que passou por entrevistas a dezenas de antigos presos políticos em Angola e Moçambique.

Trata-se efectivamente de um livro que vai ficar como obra de referência inevitável e indispensável não só para todos os leitores seriamente interessados em conhecer como actuou a PIDE/DGS nas colónias africanas que se levantaram contra o domínio português mas também para todos os investigadores empenhamos em aprofundar o conhecimento histórico de tal período dramático da história partilhado entre colonizadores e colonizados.

A historiadora Dalila Cabrita Mateus doutourou-se em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE, com 'distinção é louvor', ao defender a tese reproduzida neste livro."


A AUTORA:
"A Prof.a Doutora DALILA CABRITA MATEUS nasceu em Viana do Castelo, em 1952. É licenciada em História e diplomada em Estudos Superiores em Administração Escolar. Obteve também o grau de Mestra em História Social Contemporânea e, em 2004, concluiu o seu Doutoramento em História Moderna e Contemporânea com 'distinção e louvor'. É igualmente autora do livro 'A LUTA PELA INDEPENDÊNCIA' (Editorial Inquérito, Lisboa 1999)."



Do ÍNDICE:

NOTA PRÉVIA
Siglas

INTRODUÇÃO
1. Objecto
2. Algumas considerações
3. Fontes e bibliografia
3.1 - Em geral
3.2 - Os Arquivos da PIDE na torre do Tombo
3.3 - As entrevistas
3.4 - Os Boletins oficiais
4. Uma hipótese a verificar
5. Plano de trabalho
Notas

Capítulo 1
A PIDE/DGS NAS COLÓNIAS
1. Origem da PIDE nas colónias
1.1 - Enquadramento histórico-jurídico
1.2 - A criação da PIDE nas colónias
1.3 - Origem do pessoal da PIDE/DGS
1.4 - Condicionantes da criação da PIDE nas colónias
1.4.1 - Condicionantes externas; 1.4.2 - Condicionantes internas;
2. A organização da PIDE/DGS
2.1 - Evolução legislativa
2.2 - O quadro geral da PIDE/DGS
2.3 - Evolução dos quadros da PIDE/DGS
2.4 - Os efectivos da PIDE/DGS nas colónias em guerra
2.5 - A Direcção da PIDE/DGS
2.6 - Os serviços
2.7 - As instalações da PIDE/DGS nas colónias
2.8 - Receitas e despesas da PIDE/DGS
3. - Funções e poderes da PIDE/DGS
4. - Reuniões das chefias da Delegação
5. - O pessoal da PIDE/DGS
5.1 - Provimento do pessoal
5.2 - A preparação dos quadros
5.3 - Mobilidade do pessoal
5.3.1 - Mobilidade horizontal; 5.3.2 - Mobilidade vertical: as promoções
5.4 - Disciplina, punições e louvores
5.5 - Vencimentos, abonos e regalias
6. - Os informadores
6.1 - Quem eram?
6.2 - O recrutamento dos informadores
6.3 - Perfil de alguns informadores
6.4 - Processos de trabalho
6.5 - As redes da PIDE/DGS nos Congos
6.6 - 'Madame X', informadora do Congo
6.7 - A rede de informadores na Zâmbia
6.8 - Os casos da Guiné-Conacri e do Senegal
6.9 - 'M', agente provocador na Guiné
6.10 - Um elemento de valor inestimável no Malawi
6.11 - Pagamento dos informadores
6.12 - Os militares e os informadores da PIDE/DGS
6.13 - O valor das informações
6.14 - Divulgação das informações
7. - Os Flechas
8. - Gente da PIDE/DGS em África: retrato breve
8.1 - São José Lopes, chefe da PIDE/DGS nas colónias
8.2 - António Vaz, chefe da PIDE/DGS em Moçambique
8.3 - Fragoso Alas, o homem de Spínola
8.4 - Óscar Cardoso, o criador dos Flechas
8.5 - Francisco Lontrão, um homem muito violento
8.6 - Casimiro Monteiro, o chamado bulldog
8.7 - Alexandre Taty, informador e operacional
8.8 - Orlando Cristina, outro informador operacional
8.9 - Chico Langa, verdugo africano
8.10 - Chico Cachavi, outro verdugo africano
9. - O fim da PIDE/DGS
Notas

Capítulo 2
A REPRESSÃO
1. - A violência do colonialismo
2. - Terror e guerra colonial
2.1 - Os antecedentes da guerra vistos pela PIDE
2.2 - Terror branco versus terror negro
2.3 - Troféus de guerra
2.4 - Guerra química e massacres
2.5 - Justificação ideológica da guerra, da repressão e da tortura
3. - Métodos da PIDE/DGS
3.1 - Vigilância dos suspeitos
3.2 - Violação de correspondência
3.3 - Identificação de pessoas
3.4 - Busca e revista de pessoas
3.5 - Uso de calúnias e aproveitando de vulnerabilidades
3.6 - Provocações
3.7 - Rusgas
4. - A tortura
4.1 - O interrogatório
4.2 - Confissão e tortura
4.3 - Métodos de tortura
4.4 - Fisiologia da dor
4.5 - Consequências da tortura
4.6 - Morte dos presos
5. - Processos judiciais e administrativos
5.1 - Julgamentos políticos
5.2 - Perseguição e prisão de sacerdotes católicos
5.3 - Perseguição e prisão de pastores protestantes
5.4 - Medidas administrativas de internamento
6. - Prisões e campos de concentração
6.1 - Os africanos e a prisão colonial
6.2 - Visitas da Cruz Vermelha Internacional
6.3 - Campo de Concentração do Tarrafal (Cabo Verde)
6.4 - Campo de Concentração de São Niculau (Angola)
6.5 - Cadeia da Machava (Mocambique)
6.6 - Cadeia de São Paulo (Angola)
6.7 - Prisão de Sommerchild (Mocambique)
6.8 - Campo de Concentração de Missombo (Angola)
6.9 - Campo de trabalho de Mabalane (Mocambique)
6.10 - Fortaleza de S. Pedro da Barra (Angola)
6.11 - Fortaleza do Ibo (Mocambique)
6.12 - Campo de trabalho da Ilha das Galinhas (Guiné)
6.13 - Outras prisões e Campos
6.14 - Solidariedade com os presos
Notas

Capítulo 3
AS OPERAÇÕES
1. - Assassínio de dirigentes independentistas
1.1 - O assassínio de Amílcar Cabral
1.1.1 - Planos da PIDE/DGS para a liquidação de Cabral; 1.1.2 - Dos planos à concretização: a 'Operação MAR VERDE'; 1.1.3 - A polícia activa divisões e ódios raciais; 1.1.4 - Cabral denuncia plano para o matar; 1.1.5 - O assassínio de Cabral; 1.1.6 - Os autores do crime;
1.2 - Assassínio de Eduardo Mondlane
1.2.1 - O crime; 1.2.2 - Cortinas de fumo; 1.2.3 - A verdade sobre o crime;
2. - Operações militares
2.1 - Operações dos Flechas
2.2 - Participação da PIDE/DGS em massacres
3. - Sabotagens nos países vizinhos
4. - Destabilização nos países vizinhos
4.1 - 'Operação Girassol' (Tanzânia)
4.2 - 'Operação Meca' (Tanzânia)
4.3 - Operações 'Facho' e 'Colt' (Zâmbia)
4.4 - 'Operação Camping' (Congo Brazzaville)
4.5 - 'Operação Bulabumba' (Congo Kinshasa)
4.6 - 'Operação Tschombé' (Congo Kinshasa)
4.6.1 - Enquadramento; 4.6.2 - Grupos de mercenários; 4.6.3 - Dispositivos; 4.6.4 - Reuniões; 4.6.5 - O plano da operação; 4.6.6 - Conclusão;
4.7 - 'Operação Phoenix' (controlo dos refugiados catangueses)
4.7.1 - Papel da PIDE; 4.7.2 - Resposta à proclamação de Mobutu; 4.7.3 - Diligências das autoridades confolesas; 4.7.4 - Reuniões da PIDE/DGS com dirigentes catangueses; 4.7.5 - Operações militares contra a guerrilha;
5. - Operações da Rádio
5.1 - Ainda a 'Operação Girassol'
5.2 - Escutas
6. - Operações nos centros urbanos
6.1 - Redes da UPA/FNLA em Luanda e no Lobito
6.2 - A rede da UNITA no Luso
6.3 - Redes do MPLA em Luanda e noutras cidades
6.4 - Observações e conclusões surpreendentes
6.5 - As redes da FRELIMO em Lourenço Marques, Beira e no norte
6.6 - Desmantelamento das redes do PAIGC em Bissau, Bolama e outras cidades
7. - Operações de propaganda e contra-informação
8. - 'Operação Madeira' (Savimbi e a UNITA)
8.1 - Os primeiros contactos da PIDE com Savimbi
8.2 - O Grupo de Trabalho Madeira e as bases da 'Operação Madeira'
8.3 - Recomeçam as hostilidades
8.4 - O retomar dos contactos
9. - A investigação do 'Caso ANGOCHE'
9.1 - Um navio abandonado a arder
9.2 - A origem do incêndio
9.3 - Tripulação e carga
9.4 - Nada de muito estranho
9.5 - As conclusões de Casimiro Monteiro
9.6 - Os 'suspeitos do costume'
10. - Outras operações
10.1 - Operação na Rodésia do Norte
10.2 - Operação para a eleição do rei do Congo
10.3 - Operação Macondes
Notas

Capítulo 4
AS INFORMAÇÕES
1. - Das informações em geral
1.1 - Importância
1.2 - Técnica das informações
1.3 - A interpretação de documentos
1.4 - Classificação
1.5 - Âmbito
1.6 - Quem a realizava?
1.7 - Limite temporal
2. - Informações de natureza política
2.1 - A origem dos movimentos independentistas
2.1.1 - Origens do MPLA; 2.1.2 - Origens do PAIGC; 2.1.3 - Origens da FRELIMO;
2.2 - Congressos e reuniões
2.2.1 - FRELIMO; 2.2.2 - UNITA; 2.2.3 - MPLA;
2.3 - Os dirigentes
2.4 - Instalações, viaturas e transportes
2.4.1 - FRELIMO; 2.4.2 - MPLA; 2.4.3 - PAIGC; 2.4.4 - UPA;
2.5 - Racismo, tribalismo e outros
2.5.1 - Racismo e tribalismo na UPA/FNLA; 2.4.2 - A prisão do Salazar; 2.5.3 - Uma proposta de Lei fundamental para Angola;
2.6 - Problemas com os países vizinhos
2.7 - Divisão no seio dos movimentos de libertação
2.7.1 - FRELIMO; 2.7.2 - PAIGC; 2.7.3 - UPA/FNLA; 2.7.4 - MPLA;
2.8 - Conflitos entre os movimentos
2.8.1 - A FLEC contra a UPA e o MPLA; 2.8.2 - UPA/FNLA versus MPLA;
2.9 - Apreciações sobre a situação colonial
2.9.1 - Em Angola; 2.9.2 - Em Moçambique;
3. - Informações de natureza militar
3.1 - A PIDE informa sobre o início da guerra colonial
3.2 - A organização militar dos movimentos nacionalistas
3.2.1 - Organização militar da FRELIMO;3.2.2 - Organização militar do MPLA; 3.2.3 - O movimento de reajustamento do MPLA; 3.2.4 - A organização militar da UPA; 3.2.5 - A organização militar da UNITA; 3.2.6 - A organização militar do PAIGC;
3.3 - Bases militares
3.3.1 - Bases do PAIGC; 3.3.2 - Bases do MPLA; 3.3.3 - Bases da UPA/FNLA; 3.3.4 - Bases da UNITA; 3.3.5 - Bases da FRELIMO;
3.4 - Rotas de abastecimento
3.5 - As armas
3.5.1 - Armas para a FRELIMO; 3.5.2 - Armas para o MPLA; 3.5.3 - Armas para a UPA/FNLA; 3.5.4 - Armas para a UNITA; 3.5.5 - Armas para o PAIGC; 3.5.6 - Meios navais e aéreos do PAIGC; 3.5.7 - Descrição das armas; 3.5.8 - Os mísseis 'Strella';
3.6 - Os cursos
3.6.1 - Cursos para o PAIGC; 3.6.2 - Cursos para o MPLA; 3.6.3 - Cursos para a UPA/FNLA; 3.6.4 - Cursos para a UNITA; 3.6.5 - Cursos para a FRELIMO; 3.6.6 - Centros de Instrução Militar;
4. - A situação militar
4.1 - Situação militar em Angola
4.1.1 - A I Região Militar do MPLA; 4.1.2 - Evolução da situação militar;
4.2 - Situação militar em Moçambique
4.3 - Situação militar na Guiné
4.4 - Síntese da situação militar
Notas

Capítulo 5
AS RELAÇÕES DA PIDE/DGS
1. - As relações externas da PIDE/DGS
1.1 - A 'Santa Aliança' na África Austral
1.1.1 - Preparação da 'Santa Aliança'; 1.1.2 - Colaboração com a África do Sul; 1.1.3 - Colaboração com a Rodésia;
1.2 - Colaboração com países da NATO
1.2.1 - A CIA; 1.2.2 - Policiais e serviços secretos franceses; 1.2.3 - Serviços Secretos da RFA;
1.3 - Colaboração com países estrangeiros
1.3.1 - Colaboração com a polícia e as autoridades do Congo; 1.3.2 - Colaboração com a polícia do Senegal; 1.3.3 - Colaboração com a polícia do Malawi; 1.3.4 - Colaboração da polícia de Marrocos;
1.4 - Consulados e embaixadas estrangeiras
1.5 - Relações com a Aginter Press
2. - Relações internas da PIDE/DGS
2.1 - Relações com os militares
2.1.1 - Conflitos no campo das informações; 2.1.2 - Conflitos sobre a realização de operações militares; 2.1.3 - Informações de tipo policial; 2.1.4 - Visitas e louvores, desconfianças e antipatias; 2.1.5 - As relações com militantes e a situação da PIDE/DGS;
2.2 - Relações com autoridades político-administrativas
2.3 - Relações com outras polícias
2.4 - Relações com magistrados
2.5 - Relações com religiosos
2.6 - Relações com as empresas
2.7 - Relações com embaixadas e consulados portugueses
Notas

Capítulo 6
REPRESENTAÇÕES DA PIDE/DGS
1. Representações como serviço de informações
2. Representações como organização repressiva
2.1 - Representação nos colonos e militares
2.2 - Representações em escritores portugueses
2.2.1 - António Lobo Antunes; Abílio Teixeira Mendes; Manuel Alegre; João de Melo; José Jorge Martins;
2.3 - Representações em escritores africanos
2.3.1 - Luandino Vieira; Albino Magaia; Octaviano Correia; Boaventura Cardoso;
2.4 - Os antigos presos africanos e a PIDE/DGS
Notas

CONCLUSÕES
FONTES E BIBLIOGRAFIA
BIBLIOGRAFIA
CRONOLOGIA



Preço: 60,00€;

Portugal - 'GUERRA É GUERRA - Um oficial da GNR no Iraque', de Miguel Costa Barreto (2010)



Portugal - A experiência da GNR nas forças nas Nações Unidas contadas por um dos seus elementos


'GUERRA É GUERRA - Um oficial da GNR no Iraque'
De Miguel Costa Barreto
Esfera dos livros
Lisboa 2010


Livro com 262 páginas, ilustrado com fotografias a cores e como novo.

Excelente livro da autoria de um dos responsáveis pelo contingente militar da GNR que esteve integrado nas forças das Nações Unidas no Iraque.


Preço: 25,00€

Portugal & PIDE - 'A BEM DA NAÇÃO', de Nuno Vasco e Óscar Cardoso - Lisboa 1998 - RARO



Portugal - A PIDE analisada por um dos seus mais destacados membros


'A BEM DA NAÇÃO'
De Nuno Vasco e Óscar Cardoso
Publicações Dom Quixote
Lisboa 1998


Livro com 232 páginas e em muito bom estado (excelente) de conservação.
De muito difícil localização.
RARO.

O autor contou com a colaboração do ex-inspector Óscar Cardoso, com uma grande experiência em África onde foi o fundados dos grupos de guerrilheiros que se entregavam ao exército português e depois integrados nos 'Flechas'.

A PIDE é analisada sobre as suas mais diversas facetas e métodos de actuação, sendo este um dos melhores e mais completos livros do género sobre esta temática.


Da contra-capa:
"Um preso político do anterior regime e um Inspector-Adjunto da PIDE/DGS revelam. em conjunto e pela primeira vez em livro, o jogo do 'gato e do rato' entre perseguidos e perseguidores, no âmbito da actividade da ex-polícia política portuguesa. Nuno Vasco e Óscar Cardoso desafiam o tempo e vão mais além nas suas memórias, naturalmente com sentido diferente, dando-nos a conhecer não apenas os métodos da PIDE/DGS como os das organizações suas congéneres. 'A BEM DA NAÇÃO' é um documento fundamental para compreender alguns dos últimos anos da história de todos nós.

A cada capítulo, da autoria de Nuno Vasco, ex-preso político, sucede-se a resposta de Óscar Cardoso, ex-inspector-Adjunto da extintas PIDE/DGS, numa sucessão de duplos capítulos, cada um procurando abranger as facetas mais importantes de uma realidade que marcou profundamente várias gerações de portugueses."



Do ÍNDICE:
- PRÓLOGOS:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- OS ARQUIVOS DA PIDE/DGS:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- COLABORADORES E INFORMADORES:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- A PIDE E AS EMPRESAS:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- ESCUTA TELEFÓNICA:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- VIOLAÇÃO DE CORRESPONDÊNCIA:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- TORTURA:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- LIGAÇÕES À CIA E POLÍCIAS CONGÉNERES:
Nuno Vasco:
Óscar Cardoso;
- EPÍLOGO:
Óscar Cardoso;

- RELAÇÃO DOS PRINCIPAIS QUADROS DA PIDE/DGS EM SERVIÇO NO CONTINENTE
Em 25 de Abril de 1974.



Preço: 37,50€

Arqueologia & História - 'OS ROMANOS EM TRÁS-OS-MONTES', de Luís Madureira - Porto 1962 - RARO



Arqueologia & História - Estudo e levantamento da presença romana no norte do país


'OS ROMANOS EM TRÁS-OS-MONTES (202 A.C. a 409)'
De Luís Madureira
Editora Livraria Progredior
Porto 1962


Livro com 208 páginas, ilustrado e em muito bom estado de conservação. Em excelente estado.
De muito, muito difícil localização.
MUITO, MUITO RARO.



Do ÍNDICE:
- Introdução;

Capítulo I
- Elementos Pré-romanos;

Capítulo II
- Chaves sob o facho civilizador de Roma;

Capítulo III
- Em Montalegre;

Capítulo IV
- Em Vilas Pouca de Aguiar;

Capítulo V
- Em Vila Real;

Capítulo VI
- Em Moncorvo;

Capítulo VII
- Retalhos da civilização romana dispersa pela província;

Capítulo VIII
- A saída dos romanos da nossa província e a invasão dos bárbaros;

- Dados bibliográficos.

ÍNDICE DAS GRAVURAS:
01. - Ponte sobre o Rio Tâmega (Construída ao tempo do Imperador Trajano);
02. - Padrão romano na ponte trajana (Gravado no ano 78 e dedicado a Vespasiano);
03. - Pedra dedicada ao Imperador Caio Vibio Volusiano (Povoação Valdanta);
04. - Pedra de ara consagrada a Vénus Vitoriosa (encontrada em Chaves);
05. - Lápide sepulcral encontrada em Chaves (encontrada em 1935);
06. - Estrada de Braga a Astorga;
07. - Castelo de Montalegre (com vestígios de construções romanas);
08. - Castelo e Vila de Montalegre;
09. - Uma das entradas do Castelo de Montalegre;
10. - Construção subterrânea em Montalegre (Lugar da Ciada e descoberto em 1704);
11. - O que resta do Castelo de Vila Chã (Vila Pouca de Aguiar);
12. - Fraga - Monumento de Panoias (1);
13. - Fraga - Monumento de Panoias (2);



Preço: 75,00€

Arqueologia - 'INSCRIÇÕES ROMANAS DO CONVENTUS PACENSIS', de José de Encarnação (1984)



Portugal - Arqueologia e a presença romana em Portugal


'INSCRIÇÕES ROMANAS DO CONVENTUS PACENSIS'
De José de Encarnação
Faculdade de Letras de Coimbra
Instituto de Arqueologia
Coimbra 1984


Livro em muito bom estado de conservação, ilustrado com mapas e dezenas de fotografias de testemunhos e descobertas sobre a presença romana no país

Difícil de localizar.


Preço: 0,00€ (Indisponivel)

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Angola - 'SOLENES EXÉQUIAS DO CAMARADA PRESIDENTE DR. AGOSTINHO NETO', edição do DIP do MPLA (Luanda 1980) - MUITO RARO




Angola - O funeral do Presidente de Angola e do MPLA em 1979


'SOLENES EXÉQUIAS DO CAMARADA PRESIDENTE DR. AGOSTINHO NETO'
DIP do MPLA
Edição do MPLA
LUANDA 1980


Livro de capas duras, com 98 páginas, deformato grande, muito ilustrado (mais de 130 fotografias), em muito bom estado de conservação.
De muito, muito difícil localização.
MUITO, MUITO RARO


Um álbum com imensas fotografias das exéquias solenes de Agostinho Neto, líder do MPLA e o primeiro Presidente de Angola independente, falecido em Moscovo em Setembro de 1979.


Preço: 350,00€;

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Portugal - 'VASCO GONÇALVES - Discursos, conferências de imprensa e entrevistas' (1976)



Portugal - As intervenções políticas do primeiro ministro após 25 de Abril de 1974


'VASCO GONÇALVES - Discursos, conferências de imprensa e entrevistas'
Edição Augusto Paulo da Gama
Lisboa 1976


livro com 512 páginas e em muito bom estado de conservação.

De difícil localização.

Aqui se podem encontrar todas as intervenções realizadas pelo coronel Vasco Gonçalves, que chefiou os II ao V Governos provisórios do período revolucionário conhecido por PREC (Processo Revolucionário Em Curso), entre Adelino da Palma Carlos e Pinheiro de Azevedo.


Preço: 20,00€

Portugal - 'CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DA QUESTÃO AGRÁRIA', de Álvaro Cunhal (1976)



Portugal - A reforma agrária na opinião do lider dos comunistas portugueses


'CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DA QUESTÃO AGRÁRIA'
De Álvaro Cunhal
Edições Avante
Lisboa 1976


Livro com 312 páginas e em muito bom estado de conservação.


Preço: 12,50€

Portugal & Estado Novo - 'SALAZAR - A mocidades e os princípios', de Franco Nogueira - Coimbra 1977 - Raro



Portugal & Estado Novo - Salazar visto por um seu apoiante integro


'SALAZAR - A mocidades e os princípios'
De Franco Nogueira
Edição Atlântida
Coimbra 1977


Livro com 340 páginas e em bom estado de conservação.
De difícil localização.
Raro.


Da autoria do embaixador e Ministro dos governos de Salazar, um intelectual e homem integro, é uma obra de referência e relevante sobre o ditador.


Preço: 27,50€

Portugal & Estado Novo - 'MARCELO CAETANO - Confidências no exílio', de Joaquim Veríssimo Serrão - Lisboa 1985



Portugal & Estado Novo - As opiniões do último chefe de governo do estado novo


'MARCELO CAETANO - Confidências no exílio'
De Joaquim Veríssimo Serrão
Edição Verbo
Lisboa 1985


Livro com 408 páginas e em bom estado de conservação.

O ex-primeiro ministro do estado novo, derrubado do poder com a revolução de 25 de Abril de 1974, fez, no seu seu exílio no Brasil inúmeras confidências sobre o passado e sobre a sua queda e os apoiantes do regime anterior, em entrevistas, livros e cartas que o autor reuniu nesta interessante e oportuna obra.


Preço: 20,00€

Israel - 'A HISTÓRIA DO POVO JUDEU', de Werner Keller - Lisboa 1966 - RARO



Israel - A história do povo hebraico, da destruição do Templo ao novo estado de Israel


'A HISTÓRIA DO POVO JUDEU'
De Werner Keller
Edição Galeria Panorama
Lisboa 1966


Livro com 528 páginas, muito ilustrado e em bom estado de conservação.
De difícil localização.
RARO.

Considerado uma dos melhores obras sobre o tema.


Preço: 40,00€

Angola - 'IDENTIFICAÇÃO DOS MERCENÁRIOS QUE SERÃO JULGADOS' (Edição DIP do MPLA - Luanda 1976)



Angola - A biografia dos mercenários ocidentais capturados pelo MPLA e cubanos


'IDENTIFICAÇÃO DOS MERCENÁRIOS QUE SERÃO JULGADOS'
DIP do MPLA
Edição do M.I.N.F.A.
Luanda 1976


Livro ilustrado e em bom estado de conservação.
De muito, muito dificil localização.
MUITO, MUITO RARO.


Livro editado na sequência da captura dos mercenários ocidentais que lutavam nas fileiras do ELNA, o exército da FNLA liderada por Holden Roberto, no norte de Angola, em finais de 1975 e começos de 1976.

Insere as fotografias dos mercenários e o seu historial.


Preço: 47,50€;

'REVOLUÇÃO E REFORMISMO', de Rosa Luxemburg (1977)



Alemanha - A teórica da revolução


'REVOLUÇÃO E REFORMISMO'
De Rosa Luxemburg
Edição Fronteira
Lisboa 1977


Livro com 128 páginas e em bom estado de conservação.


Preço: 12,50€