segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Angola & Norton de Matos - 'BOLETIM CULTURAL DO HUAMBO', n.º 21 - Setembro de 1967 - MUITO RARO



Angola - Homegaem ao General Norton de Matos


'BOLETIM CULTURAL DO HUAMBO', n.º 21 - Setembro de 1967
Edição dos Serviços culturais da Câmara Municipal de Nova Lisboa
Com 32 páginas, ilustrado e em bom estado de conservação.
Nota para algumas páginas sublinhadas.

De muito difícil localização.
MUITO RARO.


do ÍNDICE:
- Concurso literário de 1967;
- O SONHO DE NORTON;
- Ao celebrar condignamente o centenário do General Norton de Matos;
Por Vitorino Loureiro
- EXORTAÇÃO AOS NOVOS DE PORTUGAL
Por General Norton de Matos
- A NOVA LISBOA
Por José Ramalhete;
- ÀQUELA ESTÁTUA
Por Rita de Cássia de Miranda;
- IMORTALIDADE (Ao general Norton de Matos)
Por Maria de Lurdes Perez Fetal Canteiro;
- A CIDADE QUE NASCEU DUM GESTO
Por José Ramalhete;
- QUADRAS;



Preço: 37,50€

Ultramar & Colonialismo - 'ANGOLA - PORTOS E TRANSPORTES', de Eduardo Gomes de Albuquerque e Castro - Luanda 1970 - MUITO RARO




Ultramar & Colonialismo - As potencialidades e o desenvolvimento das infraestruturas dos Portos e Transportes em Angola


'ANGOLA - PORTOS E TRANSPORTES'
De Eduardo Gomes de Albuquerque e Castro
Oficinas Gráficas ABC
Luanda 1970


Livro com 252 páginas, muito ilustrado (cerca de 300 fotografias), com quadros e um mapa de Angola em ponto grande, em muito bom estado de conservação. Textos em quatro línguas: português, inglês, francês e espanhol.
De muito difícil localização.
MUITO RARO


Do Agradecimentos:
"Ao Governador-Geral e aos Serviços de Portos, Caminhos de Ferro e Transportes de Angola, bem como a todos que facilitaram por qualquer forma a publicação deste trabalho, reunindo em parte, como não podia deixar de ser, elementos de carácter histórico e político e outros de interesse económico ou com aspecto informativo da obra política-económica de consulta e divulgação, com o mesmo título, editada em 1968, corrigidos, largamente desenvolvidos e de recente actualização, aqui expresso o meu reconhecimento.
Luanda, 1 de Outubro de 1970
O Autor"



Do ÍNDICE:
- Agradecimentos;
- ANGOLA;
- Porto de Luanda;
Exportação / Importação (Quadro de 1946-1969)
- Porto do Lobito;
Exportação / Importação (Quadro de 1940-1969)
- Porto de Moçâmedes;
- Portos de cabotagem;
Malongo; - Cabinda; - Landana; - Santo António do Zaire; - Noqui; - Ambrizete; - Ambriz; - Porto Amboim; - Novo Redondo; - Benguela; - Baía Farta; - Cúio; - Baía dos Elefantes; - Lucera (Baía de S.ta Marta); - Porto Alexandre; - Baía dos Tigres;
- Portos secundários;
Pedra do Feitiço; - Capulo; - Barra do Dande; - Cacuaco; - Baía da S.ta Maria; - Baía da Rába;
- PRODUÇÃO DAS PRINCIPASI INDÚSTRIAS DE ANGOLA (1968 / 1969);
- PANORAMA DOS CAMINHOS DE FERRO EM ANGOLA;
- Caminhos de Ferro de Luanda
A inauguração dos trabalhos de construção, em 31 de Outubro de 1886;
LINHA GERAL - Luanda / Malange;
LINHA DO CONGO - Luanda / Cacuaco;
RAMAL DO DONDO - Zemza do Itombe / Dondo;
RAMAL DO COLUNGO ALTO - Canhoca / Golungo Alto;
(Quadro com passageiros e mercadorias de 1889 a 1970)
- Caminho de Ferro do Amboim
Porto;
Linha do Caminho de Ferro - Porto Amboim / Gabela;
- Caminho de Ferro de Benguela
Construção (Linha Geral); - Ramal do Cuíma; - Traçado e paisagem; - Pontes; - Material; - Oficinas; - Combustíveis; - Pessoal;
A "Via-Lobito";
Nótulas várias;
Alguns dados estatísticos; - Passageiros (Quadro entre 1905 a 1969) e mercadorias (1956 a 1969);
Quadro de Estações e apeadeiros - Lobito-P / Luau (rio-fronteira);
- Linha do Cúio;
Linha e estações - Cúio / Dombe (povoação);
- Caminho de Ferro de Moçâmedes
Carta de Lei; - Decreto-Lei;
Jamba; - Tchamutete; - Jamba (Cassinga norte); - Tchamutete (Cassinga sul);
(Quadro de Passageiros e mercadorias (1907 a 1969)
LINHA GERAL - Moçâmedes / SerpaPinto;
Ramal de Cassinga norte - Entroncamento / Jamba;
- AVIAÇÃO
Assim nasceu a DTA !;
(Quadro com quilómetros percorridos, horas de voo, passageiros, mercadorias e correio (1940 a 1969)
- ESTRADAS
(Quadro de estradas classificadas e o seu tipo de pavimento)
Ralação das carreiras de camionagem existentes em Angola
(Concessionários, carreiras, percursos e extensão)
- RIOS
Rios que sesaguam na costa; - Outros rios;
- Outras obras do autor;
- Mapa de Angola de grande formato dobrado.



Preço: 90,00€

Angola & Guerra Colonial - 'SANGUE NO CAPIM ATRAIÇOADO', de Reis Ventura - Lisboa 1981 - ASSINADO - Raro




Angola - A resistência das populações civis no norte de Angola aos massacres da UPA


'SANGUE NO CAPIM ATRAIÇOADO' - (ASSINADO pelo autor)
De Reis Ventura
Edição FP (Revisto e anotado)
Lisboa 1981


Com 320 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
RARO.

Este exemplar está ASSINADO pelo autor, Reis Ventura.
E com uma dedicatória ao Dr. Álvaro Silva Tavares, que era o governador-Geral de Angola quando se deram os acontecimentos de 1961 no norte do território.

Uma obra assim, de triplo interesse. Pelo livros em si e a sua temática.
Pela assinatura rara do autor e por ter pertencido ao Dr. Álvaro Silva Tavares.

O autor, com uma grande obra bibliográfica dedicada a angola editada ao longo das décadas de sessenta e setenta, reuniu as suas informações de livros anteriores e além de algumas revisões acrescentou inúmeras anotações e fotografias dos acontecimentos de Março de 1961, quando os guerrilheiros da UPA massacraram milhares de civis inocentes no norte de Angola.


Do ÍNDICE:
- Aqui é Portugal;
- Aqui foi Portugal;
- Recortes da 1.ª edição (1963);
- 'O CASO DE ANGOLA' - 1964;
- Da 7.ª edição 1971;
- A sentinela;
- O Alferes Robles;
- O velho Cafaia;
- As milícias;
- Homens com asas;
- Mucaba;
- O soba;
- Natal amargo;
- Os 8 de Cananga;
- Dois valentes;
- Mãe preta;
- Marinheiros;
- O médico;
- Emboscada;
- A bandeira;
- Epílogo;



Preço: 75,00€

Angola & Descolonização - 'ANGOLA - ACORDO PARA A INDEPENDÊNCIA' - Edição MCSocial - Lisboa 1975 - RARO



Angola - O Acordo que conduziu a ex-colónia portuguesa à independência em 1975


'ANGOLA - ACORDO PARA A INDEPENDÊNCIA'
Edição do Ministério da Comunicação Social
Lisboa 1975


Livro com 32 páginas, ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
RARO.


Portugal e os três movimentos de libertação reconhecidos com representantes do povo angolano (FNLA, MPLA e UNITA), reuniram-se no alvor, localidade do sul no Algarve, em finais de Janeiro de 1975, para acertarem e aprovarem as modalidades e regras que iriam conduzir a descolonização de Angola, até à sua independência total.

Assim, o Acordo do Alvor, estabeleceu inúmeras regras aqui reproduzidas e marcou a data da independência: 11 de Novembro de 1975. Este documento é um artigo histórico desses trágicos acontecimentos.


Preço: 20,00€

Angola - 'COLONIZADOS E COLONIZADORES (Perfis)', de Raul David - Luanda 1975 - RARO



Angola - Histórias de resistência à colonização portuguesa


'COLONIZADOS E COLONIZADORES (Perfis)'
De Raul David
Capa de Fausto rocha - colecção N'GOLA
Livrangola livreiros
Luanda 1975


Livro com 104 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
RARO.


Compilação de histórias da resistência nacionalista angolana, conforme se depreende do título, entre colonizados e colonizadores.


O AUTOR:
"Raul David (Raul Mateus ou Raul Mateus David), nasceu na Ganda, que em documentos oficiais também foi conhecida uns tempos, por cidade Mariano Machado, no ano de 1918. E como este livro é a sua estreita nas letras, Raul David, já conhecido pelo seu talento literário em terra de pouca gente, que é Angola, a Livrangola muito se honra em apresentar aos angolanos, um prosador angolano, que é também poeta, aos 57 anos de idade."


Do ÍNDICE:
- A título de prólogo;
- Manuel Karitoko;
- Sorte Madastra;
- Limite de uma aspiração;
- Kalupuku-Puku;
- Os valentões;
- Humanidade sem reservas;
- O Juíz foi apenas testemunha;



Preço: 20,00€

Portugal & Reforma Agrária (Photobook) - 'UMA CERTA MANEIRA DE CANTAR - Reforma agrária: unir, construir, vencer', AAVV - Lisboa 1977 - MUITO RARO



Portugal & Reforma Agrária (Fotografias) - A luta dos camponeses e agricultores no período revolucionário português retratados em momento histórico


'UMA CERTA MANEIRA DE CANTAR - Reforma agrária: unir, construir, vencer'
AAVV (Vítor Louro, Costa Martins e Alexandre Cabral).
Edições Avante
Lisboa 1977


Livro com 92 páginas (21 x 24,5 cm), muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito, muito difícil localização.
MUITO RARO.


Obra dedicada à luta dos camponeses e agricultores alentejanos e com excepcionais fotografias na sua actividade profissional, na senda da política da Reforma Agrária iniciada logo após a revolução de 25 de Abril de 1974, com o derrube do regime do Estado Novo e liderado por Marcelo Caetano.

A sua tiragem foi uma pequena edição de exemplares, que não se destinaram à venda ao público nem para serem transaccionado em estabelecimentos comerciais. É um dos livros portugueses mais premiados internacionalmente e muito raro. Os amantes da fotografia e coleccionadores fazem questão de possuir um exemplar, sendo por isso muito procurado.


Preço: 170,00€;

Angola & a PAZ - 'ANGOLA - UM PASSO PARA O ABISMO (Outubro de 1992)', de Cícero Queirós - Luanda 1992 - Raro



Angola & a PAZ - O processo de paz e as primeiras eleições em Angola


'ANGOLA - UM PASSO PARA O ABISMO (Outubro de 1992)'
De Cícero Queirós
Edição de autor (?)
Luanda 1992


Livro com 216 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
Raro.

Um interessante e único livro sobre a matéria, com recurso a muita informação da imprensa portuguesa dedicada à temática e apresentada de forma cronológica e sistemática.

É um grande auxiliar para a compreensão destes trágicos acontecimentos da história recente de Angola.


Do ÍNDICE:
- Nota explicativa:
- Introdução;
01. - Avaliação do processo eleitoral;
02. - Previsão dos resultados eleitorais;
03. - Divulgação dos resultados eleitorais;
04. - Reacções aos resultados eleitorais;
05. - Denúncias de irregularidades e fraude;
06. - Interpretação dos resultados eleitorais;
07. - Política e diplomacia do governo angolano;
08. - Política e diplomacia da UNITA;
09. - Acção da comunidade internacional:
1. - Troika de observadores;
2. - Nações Unidas;
3. - África do Sul;
4. - Outras sensibilidades;
10. - Acção da sociedade civil angolana;
11. - As negociações bilaterais;
12. - Os sinais de instabilidade;
13. - Análise e comentários;
14. - Opiniões conjunturais;
15. - Entrevistas;
16. - A crise e as perspectivas comerciais;
17. - Outras notícias;
18. - Epílogo;
- Referências.



Preço: 37,50€

Angola & Guerra colonial - 'MORTO EM COMBATE', de António Silveira - Lisboa 1990



Angola & Guerra colonial - Quando o policial entra pela guerra


'MORTO EM COMBATE'
De António Silveira
Editorial Caminho
Lisboa 1990


Livro com 192 páginas e em muito bom estado de conservação.
De difícil localização.
Raro.


Recomendado pelo Júri do Prémio CAMINHO 1989.

Apresentação:
"Avaliou a altura do declive, sentou-se no capim e deu um pequeno impulso. começou a deslizar e rapidamente adquiriu grande velocidade. abriu as pernas para oferecer mais atrito e abrandar a aceleração. Teve que abrir também os braços e segurar o capim com as mãos para travar."


Da contra-capa:
"'MORTO EM COMBATE - António Silveira
Único prémio literário do género em língua portuguesa, o já consagrado Prémio Caminho de Literatura Policial é atribuído de dois em dois anos e um livro inédito. Por vezes, o júri, pela qualidqade da obra, recomenda outro livro para publicação. Foi o caso, com toda a justiça, de 'MORTO EM COMBATE'. Com ele, António silveira dá um contributo importante não só para o romance policial português mas também para a literatura que tem como pano de fundo a guerra colonal.
'MORTO EM COMBATE' entrelaça com destreza estes dois planos contando-nos uma história misteriosa num cenário bem convincente, que o leitor acompanhará com todo o agrado.
É doloroso, mas necessário, acrescentar que, quando o júri reuniu e recomendou esta obra, antónio silveira, vítima de acidente de viação, se encontrava em estado de coma. Não chegou a saber que o seu livro, o seu primeiro livro, iria ser publicado."



Preço: 20,00€

Portugal & PREC - 'O MRRP', de Judith Balso - Lisboa 1976 - Muito raro



Portugal & PREC - Um livro polémico, alvo de censura na ediçã portuguesa e boicote em França


'O MRRP'
De Judith Balso
Edições DELFOS
Lisboa 1976


Livro com 336 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
Muito raro.


Da badana:
"Edições DELFOS, no seu livro 'ELEIÇÕES LEGISLATIVAS', já apontava o Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado (M.R.P.P.) que nascera em 1970 no panorama clandestino da política portuguesa. Esta denominação manteve-se na legalidade, após 25 de Abril de 1974, mas transformou-se em Dezembro de 1976 no PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORES PORTUGUESES (P.C.T.P.).
É útil o conhecimento da vida de um partido comunista, que se destaca pelos seus ataques ao velho PARTIDO COMUNISTA PORTUGUêS (P.C.P.).
A edição francesa, 'M.R.P.P., le Portugal de prés', Maspero 1976, mostra-nos a face do M.R.P.P., acompanhando pari passu a exposição de ideias que vieram a lume no jornal do 'Movimento', 'LUTA POPULAR'.
Esta edição portuguesa foi totalmente modificada na estrutura da edição original e expurgada de uma certa virulência, talvez explicável em páginas de imprensa política, mas que se entende pouco útil num livro que pretende ficar para a história."


E ainda:
"Como comprova a experiência mundial do proletariado, não basta fazer a Revolução, é igualmente necessário defendê-la.
Luís Carlos Prestes (Secretário-Geral do Partido Comunista Brasileiro"



AVISO PRÉVIO
"A propósito deste livro, 'LIBRAIRIE NOUVELLE', de Lyon, dirigiu a seguinte carta ao editor Maspéro.

Senhores e Amigos:
Há longos anos que a nossa livraria, cujos laços com o movimento operário são bem conhecidos, distribui os vossos livros sem qualquer discriminação, como de resto é natural. Figuram em bom lugar nas nossas casas, como outros livros de outros editores.
No entanto, lamentamos informar-vos que não distribuiremos o 'M.R.P.P., LE PORTUGAL DE PRÉS', porque esse livro é um amontoado de injúrias e não constituiu absolutamente nada uma contribuição para o debate útil no movimento operário, nem sequer uma exposição de teses opostas desse movimento operário.
A expressão 'social-fascista' aplicada ao PCP não é aceitável, nem mesmo (parece-nos) para militantes que não partilhem das análises do PCP. Não teremos a crueldade de vos perguntar quem pode ter o hábito de injuriar os comunistas dessa maneira, nem se François Maspéro aceitaria publicar amanhã um livro qualificando Fidel Castro e os comunistas cubanos de 'social-fascistas'.
Em qualquer caso, nós nunca aceitaríamos distribuir um tal livro sobre Cuba.
Esperamos que a nossa futura colaboração seja mais frutuosa com outros livros."



Do ÍNDICE:
- AVISO PRÉVIO;
- UMA ANÁLISE SOBRE PORTUGAL - Por Alain Badiou e Sylvain Lazarus;

I
- CRONOLOGIA (Abril de 1974 - Novembro de 1975);

II
- ESTATUTOS DO MRPP;
I. - Programa geral; II. - Sobre os membros da Organização; III. - Princípios da organização do Movimento; IV. - Sobre os órgãos centrais do Movimento; V. - Sobre a Organização local do Movimento; VI. - Sobre as Organizações do Movimento;
PROGRAMA DE UM GOVERNO POPULAR

III
- POLÍTICA PORTUGUESA;
1. - As surpresas da História. PC-PS - Movimento de massas; 2. - Porque não foi o MFA o fulcro da Revolução; 3. - O estofo do PCP; 4. - Sobre as relações entre o PCP e a URSS; 5. - Irrupção, natureza e evolução dos movimentos camponeses (Norte e sul);
I. NORTE
A - Primeira questão, aliás controversa: os ataques foram obra de um punhado de reaccionários, ou puseram largas massas em movimento?;
B - Sobre os objectivos das revoltas;
C - Anti-Comunismo e anti-social-fascismo;
D - Movimento de massas e movimento de classe;
II. SUL
6. - Reforma Agrária, programa do PCP; 7. - Reforma Agrária, programa do MFA; 8. - Ocupação das terras e nacionalização; 9. - Conclusões do Congresso sobre a aliança Operários-Camponeses; 10. - As comissões de Trabalhadores no Movimento Operário; 11. - Algumas observações de História e de terminologia; 12. - Amanhã;

IV
- TEXTOS E DOCUMENTOS;
1. - Sobre o 25 de Abril de 1974. Ao Povo Português;
2. - Entrevista: O Porquê, o quando e o Como do MRPP:
A repressão; Solidariedade; Os Movimentos de Libertação e o MRPP; A queda do Império; Nacionalizações; Viragem para o terceiro mundo. Como?; O futuro; Histórias mal contadas; Guerra Civil; Mensagem final;
3. - Os cinco pontos constitutivos do MRPP:
I. - Lutemos por que o Movimento revolucionário se emancipe da tutela ideológica e política da Burguesia;
II. - Portugal, um dos elos fracos da cadeia mundial do Imperialismo;
III. - Levantemos bem alto a Bandeira da Revolução Democrática e Popular;
IV. - O abandono da aliança Operários-Camponeses, crime vergonhoso dos oportunistas;
V. - Deve continuar a justa luta de Libertação dos povos oprimidos das colónias;
4. - Programa de Revolução Democrática e Popular;
5. - A Habitação, o Pão, a Terra e a Paz: a propósito das palavras de ordem do MRPP;
Nas fábricas; No campo; Nos bairros;
6. - O MRPP e a questão colonial, face ao MFA;
7. - Posição do MRPP no debate sobre a unicidade sindical. O fiasco da Intersindical;
8. - Um dirigente do MRPP fala em Paris;
9. - O MRPP na vanguarda da luta pelo saneamento dos fascistas;
10. - Por uma direcção revolucionária unificada nas fábricas nacionalizadas e em vias de encerramento;
Resolução da II Conferência Nacional do MRPP;
11. - Na encruzilhada dos caminhos da Revolução:
A crise actual;
A morte da revolução ou o seu avanço a galope, eis o dilema que se põe à classe operária;
Aplicação imediata da semana de 40 horas;
É preciso que os operários inscrevam nas suas bandeiras as reivindicações dos camponeses;
A velha máquina do estado tem de ser destruída de alto a baixo;
As Comissões de Trabalhadores já se impuseram e nenhuma força do mundo as poderá destruir;
Uma tarefa central das Comissões de Trabalhadores: Centralização e Organização;
As Comissões de Trabalhadores e o armamento da classe operária e de todo o povo;
Devemos tratar seriamente a doença. Para isso temos de nos armar!;
Fazer das ideias uma arma e utilizá-la;
12. - Os Movimentos Camponeses do Norte;
13. - Apoiar ou não o 'Documento do COPCON';
O Documento Melo Antunes e as questões do poder, da violência e da transição pacífica para o socialismo;
14. - Retiremos a capa aos Social-Fascistas dos SUV;
Quem são os SUV?;
Quais são os objectivos desta organização?;
15. - Contra o embarque dos soldados:
Açores, Madeira e Angola;
As manifestações dos soldados da Polícia Militar contra os embarques para Angola e pelo regresso dos soldados;
Moção dos soldados mobilizados do depósito Geral de Adidos;
Manifestação de apoio aos soldados da Polícia Militar;
Comunicado das Companhias de Polícia Militar mobilizadas para Angola;
16. - Como surgiu na classe operária a ideia de um novo partido;
17. - Sobre a Frente única;
18. - Nas véspera do 25 de Novembro de 1975:
A situação política actual;
A crise do sistema é a crise do estado;
Todas as disputas visam a desarmar a Revolução que cresce;
Nenhum apoio aos Governos Provisórios;
Os social-fascistas e a luta dos operários padeiros;
19. - O 25 de Novembro de 1975:
O auge da contra-revolução reaccionária;
Tentativa de golpe de estado e manobras dos militares;
- ataque dos 'comandos' contra o Regimento de Polícia Militar;
Unidades de Cavalaria em movimento;
A rendição do Depósito Geral de Material de Guerra (Beirolas);
As desventuras do RALIS (Regimento de Artilharia de Lisboa);
A 'neutralidade' da Marinha;
Forças militares do Norte e do sul em direcção a Lisboa;
Os acontecimentos fora de Lisboa;
As primeiras lições;
20. - Os sete pontos de orientação para a resistência anti-colonial (RPAC);
21. - Viva a república Democrática de Timor-Leste ! Viva a FRETILIN ! Tropas fascistas indonésias, fora de Timor !



Preço: 45,00€

Portugal & Flora - 'MADEIRA - Plantas e Flores', de Luís de O. Franquinho e António da Costa - Lisboa 1979 (2 volumes) - Raro




Portugal - O mundo imenso das plantas e flores na Madeira (Plantes et fleurs - Plants and flowera - Pflanzen und blumen)


'MADEIRA - Plantas e Flores' - " volumes
Texto e fotografias - De Luís de O. Franquinho e António da Costa
Text and Photography
Edição da direcção Regional de Turismo da Madeira
Lisboa 1979


Livro composto por 2 volumes (348 páginas), muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
Além das centenas de fotografias, os livros têm também cerca de 25 selos reais alusivos às flores e frutos fotografados.
Com cerca de 600 fotografias no total. Legendado em quatro línguas: português; francês; inglês; e alemão.
De muito difícil localização.
Raro.


Volume 1
Com 150 páginas.

Volume 2
Com 198 páginas.

Com uma recolha exaustiva ds plantas e flores da Madeira (com a respectiva designação técnica em latim), com excelentes fotografias e alguns selos alusivos.


Preço: 60,00€