quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Angola - 'ROTEIRO TOPONÍMICO DAS RUAS DE LUANDA', de J. Santos Pereira - Luanda 1974 - MUITO RARO



Angola - A história dos nomes dos arruamentos da capital desta antiga colónia portuguesa


'ROTEIRO TOPONÍMICO DAS RUAS DE LUANDA'
De J. Santos Pereira
Luanda 1974



Livro com 160 páginas, ilustrado e com um mapa dos arruamentos de grande dimensões. Em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.

O autor efectuou um exaustivo levantamento de todos os arruamentos de Luanda, e além da sua localização e limites, descreve a origem e o respectivo significado, sendo desta forma um auxiliar para conhecer os personagens, datas e locais que constavam nas artérias da capital angolana em 1974/1975.

Dado que muitas artérias sofreram alterações nas suas designações, face à independência de Angola e à retirada da potencia colonizadora e outras novas surgiram, este livro constitui pois um importante docuemnto histórico.


Preço: 0,00€ (Indisponivel)

África & Guerra Fria - 'ANGOLA - O PRINCÍPIO DO FIM DA UNIÃO SOVIÉTICA', de José Milhazes - Lisboa 2009



Angola - A presença dos aliados soviéticos na luta anti-colonial, na descolonização e na guerra civil


'ANGOLA - O PRINCÍPIO DO FIM DA UNIÃO SOVIÉTICA'
De José Milhazes
Edição Vega
Lisboa 2009


Livro com 196 páginas e como novo.

O autor, que exerceu a profissão de correspondente de imprensa na ex-URSS, reuniu um quantidade considerável de depoimentos e informações, sobre a participação militar soviética em Angola, de forma a elaborar um dos livros mais esperados por todos quantos ansiavam conhecer a realidade da 'ajuda' interbacionalista ao MPLA na sua guerra contra a UNITA liderada por Jonas Savimbi e apoiada pela SADF da África do Sul.

Um documento importante e imprescindível para conhecer o papel dos países do bloco socialista ao lado do MPLA e em particular a participação russa que foi sempre secreta e misteriosa.

Do prefácio:
"Nenhum livro foi tão longe no grau de sistematização e riqueza de informações como este. O autor realizou uma empresa dificílima: conseguiu até certo ponto penetrar no mundo desaparecido da documentação fechada dos arquivos russos; entrevistou veteranos da guerra que estiveram em Angola; entrevistou personalidades dos altos escalões da política soviética; joeirou a imprens periódica do país e mergulhou na leitura de memórias e biografias que falam da presença soviética em África. Um trabalho soberbo. - Carlos Pacheco"


Do ÍNDICE;
Prefácio
- O FRACASSO DO ESPANSIONISMO SOVIÉTICO;
Capítulo I
- A INTERNACIONAL COMUNISTA EM ÁFRICA;
Capítulo II
- A URSS E A INDEPENDÊNCIA DE ANGOLA;
Cpítulo III
- LUTA NA DIRECÇÃO DO MPLA AOS OLHOS DOS SOVIÉTICOS;
Capítulo IV
- BATALHA DO CUITO-CUANAVALE - "Estalinegrado angolano";
Capítulo V
- MUDANÇA DA POLÍTICA EXTERNA SOVIÉTICA E SITUAÇÃO EM ANGOLA;
Capítulo VI
- PREPARAÇÃO DE SERVIÇOS SECRETOS ANGOLANOS E CAÇA AOS DIRIGENTES DA UNITA;
Capítulo VII
- OS COMBATENTES QUE NUNCA EXISTIRAM;
Apêndice documental


Preço: 32,50€

Ultramar - 'SEGREDOS DA DESCOLONIZAÇÃO DE ANGOLA', de Alexandra Marques - Lisboa 2013




Angola - A descolonização portuguesa cheia de segredos, mnetiras e intrigas no período da guerra-fria !


'SEGREDOS DA DESCOLONIZAÇÃO DE ANGOLA'
De Alexandra Marques
Edição D. Quixote
Lisboa 2013


Livro com 534 páginas, ilustrado e como novo.

Da contra-capa:
"Que segredos poderão ser revelados sobre a descolonização portuguesa?
O que terá sido discutido na Ilha do Sal (em Setembro de 1974) entre Spínola e Mobutu sobre as condições de transferência do poder para a FNLA?
Que facilidades concedeu o Almirante Rosa Coutinho aos movimentos de libertação ainda antes do Acordo do Alvor?
Porque insiste Almeida Santos que as reuniões de Argel (em Novembro de 1974) entre Melo Antunes e Agostinho Neto resultaram no guião da Penina?
Porque quiseram os negociadores nacionais manter secreto o 'Protocolo-Anexo' ao Acordo que nunca foi divulgado?
E que posição assumiram em relação aos bens imóveis dos portugueses residentes no território? Qaul o papel de Mário Soares enquanto Ministro dos Negócios Estrangeiros?
Qual a razão do Conflito entre a Coordenadora do Programa do MFA para Angola e o Alto-Comissário Silva Cardoso?

De que forma Rosa Coutinho ajudou o MPLA (a partir de 11 de Março de 1975) e como se articulou com o apoio logístico soviético e cubano recebido por este movimento?
O que levou Lisboa a ordenar às autoridades militares de Luanda a permissão ao desembarque na costa angolana de material bélico para o MPLA e quis que a tropa portuguesa impedisse a reentrada da FNLA em Luanda depois de expulsa da capital pelo MPLA em finais de Juho?
Porque tardou a evacuação dos portugueses e que interesse tinham os EUA no retorno em massa para ajudar o 'Grupo dos Nove' a impedir que Portugal ficasse, como Angola, sob a influência soviética?"



Do ÍNDICE:
- Introdução;
PRIMEIRA PARTE
1. - A REVOLUÇÃO EM ANGOLA

- Sem política definida; O MFA em acção; Tumultos raciais; O Plano de Spínola; O primeiro êxodo; Retirar Angola ao MFA; Golpes e renúncia;
2. - OUTUBRO VERMELHO
- Parceiros armados; A proposta do sul; Puxando por Agostinho Neto; Ódios libertados; Oficiais sob suspeita; Cabinda para o MPLA;
3. - ENTRE INIMIGOS
- Cavalos de Troia em Luanda; Bandos à solta; Ordem para destruir; O segredo de Argel; Duelo em Belém; Com o coração em Portugal;
4. - PROCESSO EM CURSO
- Políticos versus militares; A URSS e Cuba ajudam; Movimentos subsidiados pelo Almirante; Catangueses fiéis ao MPLA; Cimeira sem grupelhos;
5. - DENTRO DO ALVOR
- Eleições sem colonos; O que não pôde ficar escrito; Quanto cista um exército? Nacionalidade adiada; Colaboracionistas; O Anexo secret;
6. - O PODER PELAS ARMAS
- A contrição exemplar; Em guerrilha urbana; Apreendidas armas para o MPLA; A expulsão do "traidor";

SEGUNDA PARTE
1. - ANGOLA É VOSSA

- "O brano vai embora"; O apelo às armas; A corrida aos quartéis; Mágoas de Março; Massacres em Luanda;
2. - ACTIVAMENTE PARCIAIS
- Savimbi, "a noiva de conveniência"; Lisboa autoriza a entrada de armas para o MPLA; O caso do navio Jugoslavo; Purga em Luanda; O início do caos;
3. - NA CAIXA DE PANDORA
- Morreram menos na guerra colonial; Hecatombe no norte; Trucidados no Pica-Pau; Os fugitivos da guerra; Cerco aos indesejáveis; Portugueses descartados;
4. - A MURALHA DE AÇO À FNLA
- A batalha de Luanda; O ELNA não passará; Braço-de-ferro com Lisboa; A desobediência do general; Agonia em Malange; Vila Alice: o ataque de revolta;
5. - AO LADO DO MPLA
- Apoios progressistas; Deslocados em fuga; Batalhão em cuecas; O preço americano; Amigos estrangeiros; O desespero dos portugueses; Por detrás da ponte aérea;
6. - DE NOVO EM GUERRA
- A chegada dos cubanos; As exigências de Neto; Em retirada do sul; A quem dar o poder?; O peso dos petrodólares; Pressões a favor do MPLA; Partida sem culpa;

- Notas e fontes;
- Bibliografia;
- Índice remissivo.


Preço; 37,50€

África - 'ANGOLA - Um gigante com pés de barro', de Carlos Pacheco - Lisboa 2010




Angola - Um país que nasceu em sangue da guerra fria e tarda a pacificar-se


'ANGOLA - Um gigante com pés de barro'
De Carlos Pacheco
Edição Vega
Lisboa 2010


Livro com 252 páginas e como novo.

Da autoria de um historiador angolano controverso mas não menos corajoso, que tem agarrado em temas difíceis da vida recente deste garna país africano. Com vasta colaboração editada em revistas e jornais e bibliografia que esgota.


Da contra-capa:
"Trata-se, é certo, de um país exportador de produtos combustíveis. Faltam-lhe, no entanto, políticas sérias de desenvolvimento nacional, assim como políticas destinadas a colmatar as desigualdades sociais que se agravam initerruptamente e são suscéptiveis de provocar o desmoronamento do seu edifício político e social. Embora, por enquanto, este risco seja moderado, pode agravar-se com o tempo se não houver uma melhoria na qualidade das políticas económicas e sociais e no funcionamento das instituições. Pouco adianta falar em altas taxas de crescimento do Produto Interno Bruto se os fabulosos recursos em capitais gerados pela exportação do petróleo não corresponderem a políticas orçamentais eficazes. O que se vê, pelo contrário, é uma boa parte destes recursos perderem-se nos labirintos da corrupção e envolverem altos funcionários do aparelho de estado, que impunemente se entregam a prátivas de promiscuidade entre o 'dever público e os interesses privados'."


Do ÍNDICE:
- Nota do autor;
PARTE I
DEBILIDADES DO PETROESTADO

1. - Angola na geopolítica do petróleo; 2. - Angola, membro do clube da miséria; 3. - Escândalos na governação: a necessidade da reforma das instituições;
PARTE II
CRIMES DE LESA-HUMANIDADE, UM ABISMO DE SILÊNCIO

1. - Como esquecer dezenas de milhar de mortos?; 2. - Direito à justiça e à reconciliação; 3. - Ossadas por desenterrar; 4. - Teoria da culpa colectiva;
PARTE III
A COLABORAÇÃO DA INTELLIGENTSIA COM A DITADURA

1. - Carta aberta e Pepetela;
PARTE IV
FALSIFICAÇÃO DA HISTÓRIA

1. - A rebelião de um sacerdote; 2. - Um pouco da história do MPLA e um seu protagonista; 3. - Os primórdios das lutas separatistas e os equívocos de Aristides Pereira; 4. - O MPLA não nasceu do ventre do PCP; 5. - A sacralização de um déspota; 6. - Fidelidade ao partido e ao "rei" defunto; 7. - A máscara trágica de Savimbi; 8. - Luzes e sombras de uma inssureição: o bluff do desembarque em Angola;
PARTE V
VIRUS DO RACISMO

1. - Uma ideologia perigos;
PARTE VI
O REVERSO DA JUSTIÇA E DA DIGNIDADE

1. - República da intolerância; 2. - Pátria iníquoa; 3. - O "fico" de José Eduardo dos Santos;
PARTE VII
AS TEIAS DO 25 DE NOVEMBRO EM ANGOLA

1. - Dúvidas e conspirações;
PARTE VIII
NACIONALISMO CABINDENSE

1. - Um labirinto chamado Cabinda; 2. - O secretismo da guerra e da paz;
PARTE IX
AS VIRTUDES POUCO CIVILIZATÓRIAS DE PORTUGAL EM ÁFRICA

1. - Pilhagem das colónias; 2. - O lado obscuro da colonização portuguesa;
PARTE X
ÁFRICA A SAQUE: A CONVENIÊNCIA DOS ACTORES DO SISTEMA INTERNACIONAL

1. - Ambiguidades na ajuda a África; 2. - Neocolonialismo; 3. - Misérios da cooperação militar portuguesa; 4. - Devaneios da diplomacia lusa; 5. - O calcanhar de Aquiles de Portugal em África; 6. - Chineses em Angola: prelúdio de novos conflitos geoestratégicos?;
PARTE XI
OUTRAS REFLEXÕES MARGINAIS

1. - No jardim das estátuas cegas; 2. - Retórica sobre a escravatura; 3. - O "Primeiro Mundo" recusa-se a entender; 4. - A agua nos conflitos geoeconómicos no mundo; 5. - Por uma igreja menos aotoritária;

- Agradecimentos;


Preço: 27,50€

sábado, 27 de dezembro de 2014

Angola & Ultramar - 'SEIVA DE SANGUE', de Jorge Cobanco - Lisboa 1988 - Raro



Angola - As vivências na Angola colonial, pela escrita de um conceituado radialista


'SEIVA DE SANGUE'
De Jorge Cobanco
Publiações Europa-América
Lisboa 1988


Livro com 222 páginas e em muito bom estado de conservação.
De difícil localização.
Raro.

Da autoria de um conceituado radialista, as vivências de portugueses e angolanos na época colonial, com a guerra a dilacerar as populações e a fomentar os ódios. Um magnífico livro deste jornalista que amava esta terra, onde cumpriu o serviço militar e dele escreveu um interessante e raro livro: '11 MESES DE GUERRA EM NAGOLA', Novo Redondo 1970.

Nas últimas páginas o autor edita um glossário com o calão e palavras originárias das línguas nativas e usadas no livro.


Do ÍNDICE:
I Parte
- AS RAÍZES
II Parte
- A SEIVA
III Parte
- O SANGUE



Preço: 22,50€

Angola & Igreja - 'MEMÓRIAS', de Moysés Alves de Pinho - Lisboa 1979 - Raro



Angola - A Igreja angolana liderada pelo Arcebispo de Luanda


'MEMÓRIAS'
De Moysés Alves de Pinho
Edição de autor
Lisboa 1979


Livro com 358 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito diícil localização.
Raro.


Do ÍNDICE:
- Prefácio:
- Introdução;
- Primeira Parte
DA INFÂNCIA AO SACERDÓCIO

1. - A minha terra natal; 2. - Na minha infância; 3. - No Seminário da Formiga; 4. - Em França e em Roma; 5. - A revolução de 1910; 6. - Professor em França;
- Segunda Parte
PROVINCIAL DA CONGREGAÇÃO DO ESPÍRITO SANTOS EM PORTUGAL

1. - Primeiros contactos; 2. - Em nossas casas; 3. - Na fundação de um Instituto de religiosas; 4. - Visita às Missões de Angola; 5. - Bispo de Angola e Congo;
- Terceira Parte
BISPO DE ANGOLA E CONGO

1. - Para Luanda; 2. - A vida religiosa em Angola; 3. - Primeira visita Pastoral; 4. - Na ânsia de colaboração; 5. - A Concordate e o Acordo Missionário; 6. - Actos importantes na Igreja de Luanda; 7. - A Igreja e o Estado; 8. - Monsenhor Manuel Alves da Cunha; 8. - A minha resignação de Arcebispo de Luanda;


Da contra-capa:
"D. MOYSÉS ALVES DE PINHO presidiu durante 34 anos à marcha da civilização cristã de Angola, primeiro como bispo de todo aquele vasto território, depois como Arcebispo de Luanda e Bispo de S. Tomé e Príncipe.
Durante 44 anos de permanência naquela antiga parcela de Portugal, sentiu e viveu as angústias e os anseios, as alegrias e as tristezas de um povo qie assimilou e por quem foi assimilado.
Quantos o conheceram de perto, e foram muitos, crentes e não-crentes, políticos e homens do povo, dão unânime testemunho do alto valor da sua personalidade, tão patente na grandeza da obra realizada.
Publicando as suas MEMÓRIAS aos 96 anos de idade, deixa-nos um valioso documento para a História deste último século."


Preço: 52,50€

Guerra colonial & Descolonização - 'A ENTREGA DO ULTRAMAR PORTUGUÊS E O 4 DE FEVEREIRO DE 1961 EM ANGOLA', de Álvaro S. Tavares - Lisboa 2009 - Raro



Angola - Análise apaixonada da descolonização de todas as colónias portuguesas


'A ENTREGA DO ULTRAMAR PORTUGUÊS E O 4 DE FEVEREIRO DE 1961 EM ANGOLA'
De Álvaro da Silva Tavares
Edição NEOS
Lisboa 2009


Livro com 64 páginas e em estado excepcional de conservação.
de difícil localização.
Raro.


Da contra-capa:
Sobre a acção política e colonial de Oliveira Salazar.
"É pois de perguntar: um estadista de tão alto nível poderá ser tão displicentemente julgado pelo que não pôde fazer, abstraindo-se pura e simplesmente do que fez?"


Do ÍNDICE:
- Introdução, de José Pinheiro da Silva;
- A ENTREGA DO ULTRAMAR PORTUGUÊS
I - O Mito e a Realidade;
II - Os pequenos territórios ultramarinos;
a) - Cabo Verde; b) - Guiné; c) - S. Tomé e Príncipe; d) - Macau e Timor; e) - Estado da Índia;
III - Angola e Moçambique, o âmago da questão;
a) - A adjacência à África do Sul; b) - Política de apaziguamento; c) - As missões protestantes; d) - Os EUA avisam Portugal do "15 de Março"; e) - A revolta de Lumumba. A fuga dos belgas. A posição dos comandantes das Forças Armadas; f) - Auxílio a Matadi; g) - Inflexões da política americana; h) - A política da União soviética em relação a África e a Portugal; i) - A auto-descolonização; j) - A colonização portuguesa; k) - O inquérito da OIT; l) - A evolução autonómica do ultramar; m) - O erro de Botelho de Moniz em 1961 e do MFA em 1974; n) - Spínola e o MFA; o) - A queda soviética;
IV - A história de Portugal voltada para o futuro;
- A PROPÓSITO DO 4 DE FEVEREIRO DE 1961 EM ANGOLA
- NOTAS BIOGRÁFICAS DO DR. ÁLVARO RODRIGUES DA SILVA TAVARES
- ÍNDICE


Álvaro Rodrigues da Silva Tavares
Nasceu em Cabo Verde em 3 de Fevereiro de 1915.
Licenciou-se em Direito pela Universidade de Lisboa e exerceu a advogacia entre 1938 e 1945. Foi Magistrado do Ministério Público e Judicial de 1945 1956 na Guiné, Moçambique, Angola e Estado da Índia, onde foi Secretário-Geral. Governador da Guiné em 1956. Pertenceu ao governo do dr. Oliveira Salazar como Sub-Secretário de Estado da Administração Ultramarina e nomeado como administrador colonial português para o cargo de Alto Comissário e depois Governador-Geral da Província de Angola, entre 15 de Janeiro de 1960 e 23 de Junho de 1961, tendo sido antecedido por Horácio José de Sá Viana Rebelo e sucedido por Venâncio Augusto Deslandes.
Delegado e comissário do governo no Banco Nacional Ultramarino.
De 1971 a 1974 foi Procurador à Câmara Coporativa.


Preço: 30,00€

Guerra colonial - 'A VERDADE SOBRE OS ACONTECIMENTOS DE ANGOLA', de Américo Barreiros - Carmona 1961 - MUITO RARO




Angola - Quando o terror da UPA chegou ao norte e vitimou milhares de pessoas inocentes


'A VERDADE SOBRE OS ACONTECIMENTOS DE ANGOLA' - 2 volumes num só
De Américo Barreiros
Edição de Autor
Carmona 1961


Livro com 206 páginas, muito ilustrado e em muito bom estado de conservação.
Referência para as fotografias impressionantes de corpos massacrados das vitimas do terrorismo.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


O autor relata os massacres registados no norte de Angola em Março de 1961, da autoria da UPA liderada por Holden Roberto, e que vitimaram milhares de inocentes, entre brancos e negros, homens, mulheres, crianças e idosos. Relatos impressionantes, alguns na primeira pessoa!

Identifica os locais, as datas e o número de vitimas e inclusivé com a identidade quando a mesma foi apurada.

Um documento histórico de grande valor, que retrata o horror da guerra do ultramar, que se iniciou nesta altura e se estendeu posteriormente à Guiné e a Moçambique.


Do ÍNDICE:
I VOLUME
- Apresentação; - Dedicatória; - Advertência;
- Planos sinistros;
- Decisões históricas;
1. - COMO COMEÇOU O ATAQUE;
2. - QUINZE DE MARÇO
3. - O GRANDE MASSACRE

- A Odisseia de um agricultor que passou 22 dias na floresta do Danje; - Na fazenda 'Primavera' mataram os empregados e o gerente à frente da sua própria mulher, que foi amarrada, espancada e violentada; - O ódio e atraição de mãos dadas puseram fim a um sonho; - O assalto à 'Fazenda Mongatombe'; - Atraiçoados vilmente pelos seus próprios servidores; - A tragédia de um agricultor de Nova Caipemba que ao chegar a casa encontrou a mulher morta à catanada; - 'SELVAGENS' - "Sou o único sobrevivente do massacre da 'Fazenda de S. José"; - Salvo por não se encontrar na fazenda no momento do massacre; - 103 fazendas destruídas num mês (Relação das Fazendas); - Um homem que deve a vida ao sono, que o livrou de uma morte horroros; - Uma criança preta de Mucaba luta com a morte num hospital de Luanda; - Um bom português mestiço, com uma coragem inaudita, salva a população de Nova Caipemba; - O brutal assalto à povoação da Úcua, foi lançado sobre gente que estava a almoçar; - Quimbele ferozmente atacada por numerooso bando de terroristas; - Dramático episódio em que dois homens tiveram de enfrentar centenas de terroristas; - A história de dois rapazes estudantes que viveram horas dramátcas enfrentando com heroicidade grupos de bandoleiros; - Impressionante relato de uma senhora salva por um desconhecido de ser barbamente assassinada; - Os piores momentos da suas vidas contados corajosos bravos protagonistas da luta travada em S. Salvador e Nóqui; - O drama de uma senhora a quem os terroristas mataram o marido depois e amarrada e espancada; - O 'Princípe' e o seu séquito activos servidores do terrorismo foram capturados no Golungo-Alto; - A morte de um Capuchino; - No Bembe; - Na Baía dos Elefantes; - Na área do Songo; - No Úcua; - No 31 de Janeiro; - Pango Aluquem; - Serrados duas dúzias de portugueses na fronteira com o Congo; -
4. - MUCABA
- A heroicidade de um chefe de Posto (Hermínio Sena) com os seus 23 companheiros; - UM TELEGRAMA; - RECEBIDO POR SALZAR;
5. - A VISITA DE UM GRANDE MINISTRO
- Palavras devidas a quem soube desde já merecê-las de todos nós; - Não recuando antes riscos o Ministro do Ultramar e o subsecretário de Estado da Aeronáutica estiveram longas horas no '31 de Janeiro'; - Afirmações do senhor Ministro do Ultramar ao chegar a Lisboa;

OS ACONTECIMENTOS DEBATIDOS NA IMPRENSA
6. - GENOCÍDIO PURO

- Duzentos bandoleiros recentemente aprisionados por um contigente de pára-quedistas, noventa eram de fora de Angola, releva o enviado espcial do 'DAILY MAIL'; - Tudo demonstra que havia um plano cuidadosamente estudado; - Não somos néscios nem cobarde; - Todos os portugueses estão certos de que se saírem de Angola, ela cairá no caos e na barbárie - Afirmação de jornalista suiço; - Os hediondos crimes dos terroristas são pela primeira vez mostrados ao mundo em reportagem de 'O CRUZEIRO'; - Inspiração de dirigentes comunistas e recursos financeiros americanos na revolta angolana, revela a imprensa alemã; - Um alta personalidade dos EUA reconhece a falsidades de alguma informação sobre Angola; - Um categorizado oficial britânico a consciência do mundo civilizado; - Jornalista suição que conhece bem Angola recorda que a segurança era total antes dos actos terroristas;

GRAVURAS
Edição de inúmeras fotografias das vitimas dos massacres, impressionates e demonstrativas da barbárie.

II VOLUME
1. - O CLARIM DA RESISTÊNCIA
- Profissão de Fé; - Olhos nos olhos; - Amara Angola, o único remédio; - Uma resposta colectiva a quantos ainda dividam;
2. - CAPITALISTAS, A PÁTRIA PRECISA DE VÓS
- Foi a mentira; - Gratidão flor rara; - O meu protesto; - Falsas independências; - Conta corrente; - É crime ser banco? - A Pátria em perigo; - Consideração... Demos conosco a cismar!; - A ingratidão dos homens;

ECOS NA SEMANA DO ULTRAMAR NA SOCIEDADE DE GEOGRAFIA DE LISBOA
3. - DA AGRESSÃO CONTRA NÓS NA PROVÍNCIA DE ANGOLA
- Declarações do Prof. Dr. Adriano Moreira

ANGOLA NA ESANDALOSA ONU
4. - O GRANDE BATUQUE

- Ligeiras considerações a propósito de uma 'Comissão'; - A discussão do caso Angola na ONU; A ofensiva contra Portugal;

NUNCA ABANDONAREMOS ANGOLA
5. - NÃO


CARTA DE UM PAI
6. - UM PAI ORGULHOSO POR SABER QUE O FILHO ESTÁ A DEFENDER A PÁTRIA

7. - O FUTURO DE ANGOLA

NÓTULAS FINAIS
- Recuperação;
- AGRADECIMENTO;
- Índice;


Preço: 75,00€

Angola & Descolonização - 'COSTA DOS ESQUELETOS', de Rogério Amorim - Lisboa 2000 - RARO




Angola - A fuga de refugiados da guerra entre os movimentos de libertação em direcção ao sul


'COSTA DOS ESQUELETOS'
De Rogério Amorim
Publicações Europa-América
Lisboa 2000

Livro com 172 páginas, ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De difícil localização.
RARO.


Quando a descolonização de Angola atingiu o seu ponto mais grave, em meados de 1975, e os movimentos de libertação angolanos lutavam entre si para o domínio territorial, centenas de angolanos, brancos e negros, homens e mulheres, crianças e idosos, pegaram nas suas viaturas e em coluna desde o centro, dirigiram-se para o litoral e daqui rumaram até ao sul, à procura do refúgio e segurança da Namíbia.

Do receio da morte e perseguição à fome, sede e incerteza no futuro, estas centenas de participantes na coluna da fuga, tudo passaram.

Esta é a sua aventura, narrada em livro, vinte e cinco anos após a mesma ter decorrido. Os dramas da descolonização, guerra civil e ausência de autoridade e fuga dos representantes da potência colonizadora, deixaram marcas profundas nos participantes e seus descendestes.


Da contra-capa:
"Em 1975, duzentos portugueses empreenderam uma das mais espectaculares e perigosas fugas da história. Fogem de Angola. Fogem da fúria dos homens e, com os seus sessenta e um veículos de todas as espécies, enfrentam uma das mais hostis regiões do planeta - a Costa dos Esqueletos.
Um percurso de oitocentos quilómetros do Sudoeste Africanos, sem estradas ou picadas, viajando pela praia ou pelo interior do deserto, com temperaturas extremas. Falta de água e de comida, travessias de rios, avarias nos veículos, ataques de animais selvagens, caçadas, os que ficam para trás, separações e o receio constante de estarem a ser perseguidos - estes homens e mulheres passam por tudo um pouco, numa verdadeira luta pela sobrevivência.
Esta é a sua história. Uma história de coragem e perseverança, relatada por um dos participantes."



Do ÍNDICE:
- Nota do Autor;
- EPÍLOGO;
- Capítulo I;
- Capítulo II;
- Capítulo III;
- CONCLUSÃO;



Preço: 37,50€

Guiné-Bissau & Guerra Colonial - 'REVOLUTION IN GUINEA', by Amilcar Cabral - London 1969 - Muito raro



Guiné-Bissau - A luta de libertação dos guerrilheiros do PAIGC e os pensamentos e estratégias de Amílcar Cabral


'REVOLUTION IN GUINEA'
By Amilcar Cabral
Edition MRP
London 1969


Livro com 176 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito, muito difícil localização.
Muito raro.

Além da inúmera informação que o livro contém sobre a luta desencadeada pelo PAIGC de Amílcar Cabral contra a presença portuguesa na Guiné, e que constitui hoje documentação histórica, realce para as declarações de diversos soldados portugueses capturados em zonas de combate no interior do território e inseridas na capítulo 10 e 11.


Do ÍNDICE: - CONTENTS:
- Introduction;
01. - Guniea and Cabo Verde against Portuguese colonialism;
02. - At the United Nations;
03. - Anonymous soldiers for the United Nations;
04. - National liberation and peace, cornerstones of non-alignment;
05. - Brief analysis of the socil structure in Guinea;
06. - The national movements of the portuguese colonies;
07. - Tell no lies, claim no easy victories...;
08. - The weapon of theory;
09. - The development of the struggle;
10. - On freeing captured Portuguese soldiers - I ;
11. - On freeing captured Portuguese soldiers - II ;
12. - Pratical problems and tactic;
13. - Message to the people of Portugal;
14. - Towards final victory;



Preço: 40,00€

Ultramar - 'O PROBLEMA DA ÍNDIA PORTUGUESA', de Hermes Araújo Oliveira - Lisboa 1958 - ASSINADO - Raro



Ultramar - A Índia analisada de forma exaustiva e fundamentada


'O PROBLEMA DA ÍNDIA PORTUGUESA'
De Hermes Araújo Oliveira
Edição do autor - Patrocínio do Ministério da Defesa
Lisboa 1958


Livro com 280 páginas, ilustrado com mapas e em muito bom estado de conservação. Assinado e com dedicatória do autor.
De muito difícil localização.
Muito raro.

O autor, oficial superior do exército português, comissões em diversas colónias do ultramar português e vasta obra bibliográfica dedicada ao etma, edita esta obra, a mais completa e melhor sobre a Índia portuguesa.


Do ÍNDICE:
- Dedicatória;
- Prefácio;
- Introdução;
I PARTE - A ÁSIA NA HORA PRESENTE
Capítulo I - O DRAMA DA CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL NA ÁSIA
A - Desagregação do poder ocidental na Ásia;
B - Acção do comunismo;
C - Reacção do Ocidente;
D - Conclusão;
Capítulo II - O SUBCONTINENTE INDIANO
A - Generalidades;
B - Paquistão;
C - Ceilão;
D - União Indiana;
II PARTE - O NACIONALISMO NA UNIÃO INDIANA
Capítulo I - VALOR RELATIVOS DOS TRÊS DISTRITOS
Capítulo II - ATITUDE DA UNIÃO INDIANA
A - Suas ambições;
B - Atitude inicial;
C - Nova orientação;
D - A grande manobra político-diplomática;
E - Perspectivas;
III PARTE - A POSIÇÃO DE PORTUGAL
A - Inconsistência da argumentação indiana;
B - As populações naturais perante a nossa soberania;
C - Porque não abndonamos Goa, Damão e Diu;
D - A nossa possibilidade de resolver o problema;
- Bibliografia;
Índice;



Preço: 70,00€

Ultramar - 'ÍNDIA - A ARQUITECTURA CIVIL E RELIGIOSA', de Pedro Dias - Lisboa 2009



Ultramar - A arte de Portugal na Ásia, em magnificas fotografias e descrições


'ÍNDIA - ARQUITECTURA CIVIL E RELIGIOSA'

De Pedro Dias
Edição do jornal PÚBLICO
Lisboa 2009


Com 154 páginas, fotografias e ilustrações e em estado excepcional de conservação.

Do ÍNDICE:
01. - A ARQUITECTURA RELIGIOSA DE RAIZ PORTUGUESA NA ÍNDIA;
02. - AS CONSTRUÇÕES RELIGIOSAS DE GOA;
03. - A ARQUITECTURA CIVIL E DOMÉSTICA DE GOA;
04. - A ARQUITECTURA RELIGIOSA NO TERRITÓRIO DE GOA;
05. - A ARQUITECTURA CIVIL E DOMÉSTICA NO TERRITÓRIO DE GOA;
06. - A ARQUITECTURA CIVIL E RELIGIOSA NA PROVÍNCIA DO NORTE;
07. - IGREJAS E RESIDÊNCIAS NAS TERRAS DO GRÃO-MONGAL;
08. - A ARQUITECTURA CIVIL E RELIGIOSA NO MALABAR;
09. - A ARQUITECTURA RELIGIOSA NA COSTA DA PESCRIA;
10. - IGREJAS DE S. TOMÉ DE MELIAPOR;
- Notas;
- Bibliografia;
- Cronologia da expansão portuguesa;
- Glossário;
- Créditos fotográficos;



Preço: 70,00€

Portugal & PREC - Jornal 'TRIBUNA POPULAR', n. º 8, de 26 de Setembro de 1974 (Partido do Progresso) - Muito raro




Portugal & PREC - Jornal de um dos partidos ditos da direita que foi ilegalizado neste período


Jornal 'TRIBUNA POPULAR', n. º 8, de 26 de Setembro de 1974
Órgão oficial do Partido do Progresso, que viria a ser ilegalizado pelo MFA,
após a demissão do General spínola e dos acontecimentos de 28 de Setembro de 1974.

Um artigo de grande valor e documentos históricos. Em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
Muito raro.


Temas em destaque:
- EDITORIAL - AVENTURA E REALISMO
- DISCRIMINAÇÃO CONTRA O PODER POPULAR
- A VOZ INTERIOR DO PAÍS
- O PROBLEMA DOS VENDEDORES AMBULANTES
- AÇORES - APELO À SERENIDADE
- PAIGC TORTURA
- DESCOLONIZAR ANGOLA

Surpresa; Uma voz a escutar; Crítica do PCDA; Outras vozes;
- ANGOLA HOJE
Importância estratégica; Desenvolvimento; Nem tudo corre bem; O destino político;
- A QUESTÃO SINDICAL - TESTEMUNHOS INSUSPEITOS
- Comunicado do PARTIDO DO PROGRESSO



Preço: 25,00€

Timor & Descolonização - Revista 'FUNU', n.º 2 e 3 de 1980 e 81 - MUITO RARAS




Timor & Descolonização - Assuntos da comunidade timorense em análise


Revista 'FUNU', n.º 2 e 3 de 1980 e 1981
Editadas em Lisboa, muito ilustradas e em muito bom estado de conservação.

De muito difícil localização.
MUITO RARAS

Exemplar n.º 2 - Setembro de 1980, com 38 páginas.
Temas em destaque:
- A FRETILIN ATACA EM DILI
- CRIMES DE SUHARTO EM TIMOR-LESTE
- COMO VIVEM EM PORTUGAL OS REFUGIADOS TIMORES
- PRISIONEIROS ENTRE QUATRO PAREDES

- UM DEPORTADO NA ILHA DE TIMOR
Entrevista com Ernesto Matias, deportado para Timor em 1927 para o Campo da Ilha de Ataúro;
- UM REPÓRTER EM TIMOR-LESTE (2) - Artigo de Adelino Gomes;
- Padre Mark Raper à FUNU
- TRIBUNAL DOS POVOS VAI JULGAR, EM LISBOA, O CRIMES DO REGIME INDONÉSIO
- PORQUE DEVEMOS DAR ATENÇÃO A TIMOR-LESTE?
- Artigo de Noam Chomsky;
- A CIA EM TIMOR-LESTE, de Denis Freney;
- GOVERNO PORTUGUÊS APROVA MEDIDAS SOBRE TIMOR-LESTE - De Alberto Costa Alves;
- TIMOR-LESTE - QUANTAS PESSOAS MORRERAM? - Para um DOSSIER 'Genocídio'.

Exemplar n.º 3 - Fevereiro de 1981, com 38 páginas.
Temas em destaque:
- A ONU, PORTUGAL E TIMOR-LESTE - Por José Prista;
- AINDA O ATAQUE MILITAR OS ARREDORES DE DILI
- "O NOSSO KORAL ESTÁ MUITO ELEVADO"
- Guerrilheiros da FRETILIN enviam mensagem;
- GOVERNO AUSTRALINO CENSURA ARTIGOS SOBRE TIMOR-LESTE
- FUNU netrevista Padre - EDICIO DE LA TORRE - Por Alberto costa Alves;
- UM REPÓRTER EM TIMOR-LESTE (3) - Artigo de Adelino gomes;
- ENTREVISTA COM ROGÉRIO LOBATO - Por Carlos Gil e com quatro páginas;
- UM JORNAL EM NOVEMBRO DE 1975 - Por Alberto Costa Alves;
- DE SETEMBRO A NOVEMBRO DE 1975 COM JILL JOLLIFFE - Entrevista de Costa Alves
1. - Um povo com um grande sentimento nacionalista; 2. - Ainda a morte dos cinco jornalistas australianos; 3. - Foram interrompidos pela invasão; 4. - Uma diligência de Jim dunn; 5. - O dia da independência; e 6. - 'Vamos Matar todos os jornalistas';
- A CIA EM TIMOR-LESTE (3)
- OS EUA PODIAM TER EVITADO A TRÁGICA INVASÃO DE TIMOR



Preço: 40,00€ (Lote completo)

Ultramar & Guerra colonial - Revista 'CONTINUIDADE' da PIDE/DGS, n.º 7 e 8 - 1973 - MUITO RARAS




Ultramar - As actividades diversificadas da PIDE/DGS em divulgação


Revista 'CONTINUIDADE' da PIDE/DGS, n.º 7 e 8 - 1973
Editada em Lisboa para divulgação das suas actividades.

Exemplar n.º 07, de Junho-Julho de 1973
Com 64 páginas, muito liustrada e em muito bom estado de conservação.

Temas em destaque:
- 10 DE JUNHO - DIA DE PORTUGAL EM ÁFICA
Reportagem muito ilustrada com fotografias a cores;
- ASSASSINOS NO PALÁCIO DE VIDRO
Artigo de Thomas J. Haas, sobre a presença de Amílcar Cabral na Assembleia Geral da ONU;
- DIAMANG - ASSISTÊNCIA SOCIAL NA LUNDA
Reportagem muito ilustrada com fotografias a cores e sete páginas;
- TEMOS DE ESCOLHER ENTRE O COMUNISMO OU UM PORTUGAL ÍNTEGRO E PROGRESSO EM PAZ
Marcelo Caetano em Aveiro;
- ANGOLA NA ESTRATÉGIA COMUNISTA PARA A ÁFRICA AUSTRAL - Conciliação MPLA/FNLA
Artigo de Mário César Ferreira;
- HOMENAGEM A FRANCISCO CAZAL-RIBEIRO
- PRESIDENTE NIERERE ACUSADO DE ROUBO
- PELA PÁTRIA
Agentes da PIDE/DGS abatidos num emboscada no norte de Moçambique pela FRELIMO;
- Etc


Exemplar n.º 08, de Agosto-Setembro de 1973
com 64 páginas, muito ilustrada e em muito bom estado de conservação.

Temas em destaque:
- O CANCER DA OTAN
- DIAMANG - DESENVOLVIMENTO É VERDADEIRAMENTE O NOVO NOME DA PAZ
Desenvolvida reportagem muito ilustrada com fotografias a cores e sete páginas;
- TAMBÉM ASSIM NOS NÃO VENCEM
'Conversa em Família' de Marcelo Caetano;
- Entrevista - O CHEFE DE BRIGADA DA PIDE/DGS FERNANDO FERNANDES XAVIER
Colocado no Posto do Caxito em Angola, fala das baixas da FNLA e do famoso comandante Pedro Afamado;
- O GOVERNADOR-GERAL DE ANGOLA SAÚDA OS 'FLECHAS' DE PORTUGAL
- GENERAL BETTENCOURT RODRIGUES GOVERNADOR E COMANDANTE-CHEFE
- Etc.


De muito difícil localização.
MUITO RARAS


Preço: 0,00€ (Lote completo) - Indisponivel