sábado, 5 de novembro de 2016

África & Colonialismo - 'AS ILHAS DE CABO VERDE - Da 'descoberta' à independência nacional (1460-1974)', de Elisa Silva Andrade - Paris 1996 - Muito raro




África & Colonialismo - Uma monografia das ilhas de Cabo Verde, da descoberta portuguesa à independência em 1975


'AS ILHAS DE CABO VERDE - Da 'descoberta' à independência nacional (1460-1974)'
De Elisa Silva Andrade
Edição L'Harmattan
Paris 1996


Livro com 320 páginas, ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
Muito raro.


Da contra-capa:
"Compreender os mecanismos da dominação económica e da pobreza é descobrir as ilhas de Cabo Verde através de um projecto colonial hesitante e sem meios compatíveis com as suas ambições.
Cabo Verde foi, no espaço atlântico, ora integrado, ora rejeitado, segundo os interesses da metrópole colonial. Inicialmente ilhas afortunadas (entreposto de escravos africanos a serem exportados para a Europa e depois para as Américas, produtor de grogue, açúcar, panos, anil, ...) e base logística da navegação transoceânica, elas foram arruinadas pela dominação portuguesa, pelas companhias masjestáticas... A evolução dos transportes intercontinentais e o atraso na construção do cais acostável em Mindelo, assentaram-lhes o golpe de misericórdia. A emigração maciça (forçada e/ou espontânea), sobretudo dos jovens, constituíram a solução de sobrevivência após as secas e fomes periódicas.
O estudo histórico e social da economia do arquipélago recoloca Cabo Verde no seu meio natural: O continente africano. Atesta-o a longa luta armada, conjuntamente com a Guiné-Bissau, que lhe permitiu ascender à independência política."



Do ÍNDICE:


Agradecimentos;
PREFÁCIO de Michel Lesourd;
INTRODUÇÃO;

PARTE I
ORIGEM E FORMAÇÃO DA SOCIEDADE CAOVERDIANA

Capítulo I
O ACHAMENTO E A COLONIZAÇÃO DAS ILHAS DE CABO VERDE:
1. - As condições internas de Portugal que o levaram ao grande empreendimento das 'descobertas';
2. - Achamento e forma de povoamento de Cabo Verde:
A - A chegada dos portugueses a Cabo Verde; B - O povoamento das ilhas; C - As origens étnicas da população de Cabo Verde;

Capítulo II
SOCIEDADE, MEIO AMBIENTE E SUBSISTÊNCIA:
1. - Organização dos espaços;
2. - Cruzamento de povos e constituição de uma cultura;
3. - Subsistência;

PARTE II
CONSTITUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SISTEMA ESCLAVAGISTA

Capítulo I
NATUREZA E MODO DE INSERÇÃO DA ECONOMIA CABOVERDIANA NA ECONOMIA MUNDIAL:
1. - Produtos de exportação:
A - Os escravos; B - As culturas de rentabilidade; C - Os produtos da pecuária; D - Os produtos de extracção;
2. - Organização e evolução do comércio nas ilhas:
A - Correntes de troca; B - As grandes companhias monopolistas; C - Regulamentação das trocas e a limitação sistemática dos privilégios inicialmente atribuídos à classe dominante em Cabo Verde;

Capítulo II
FORMAS DE APROPRIAÇÃO E DIVISÃO DA SOCIEDADE EM CLASSES:
1. - Regime de propriedade;
2. - Classes e grupos sociais em presença:
A - Os senhores brancos; B - Os escravos;

Capítulo III
AS FINANÇAS REAIS E AS FINANÇAS PÚBLICAS COMO MECANISMO DE EXTRACÇÃO DIRECTA DAS RIQUEZAS REALIZADAS EM CABO VERDE

Capítulo IV
DECLÍNIO E FIM DA SOCIEDADE ESCLAVAGISTA:
1. - Convergência de factores externos e internos na decadência do sistema;
2. - Movimentos sociais;
3. - O processo de abolição do tráfico de escravos e da escravatura;
4. - Decomposição e reconstituição de novas classes e camadas sociais com o processo de degradação da sociedade escravocrata;
5. - Desequilíbrio do ecosistema como resultado da sobre-exploração do homem e da natureza;

PARTE III
CONSTITUIÇÃO DO CAPITALISMO DEPENDENTE

Capítulo I
À ESCRAVATURA SUCEDE O CAPITALISMO COLONIAL:
1. - Para uma nova forma de exploração colonial;
2. - Valorização do arquipélago colo colónia de serviço:
A - Para o exterior; B - A nivel interno;
3. - Organização do poder colonial e legitimação ideológica:
A - A legitimação ideológica do poder colonial; B - Formas de organização e evolução do poder colonial em Cabo Verde;
4. - A emigração como dado estrutural da sociedade caboverdiana:
A - As causas profundas da emigração caboverdiana; B - A emigração 'voluntária', 'espontânea' ou 'livre'; C - O impacto da emigração caboverdiana;

Capítulo II
SITUAÇÃO SÓCIO-ECONÓMICA NAS VÉSPERAS DA INDEPENDÊNCIA NACIONAL:
1. - Bloqueio da situação agrária resultante do período anterior:
A - Regime de propriedade e relações de produção; B - Estado das técnicas e nível de produção;
2. - A industrialização impossível;
A - As industrias extractivas; B - As industrias de transformação;
3. - O comércio interno;
4. - O comércio externo;
5. - A problemática das classes sociais em Cabo Verde;

Capítulo III
A INDEPENDÊNCIA NACIONAL COMO ÚNICA SAÍDA PARA O BLOQUEIO COLONIAL:
1. - O impasse da colonização portuguesas;
2. - Génese do movimento de libertação nacional;
3. - Constituição do Estado nacional e perspectivas de desenvolvimento:
A - Constituição do Estado Caboverdiano sob a hegemonia da pequena-burguesia 'revolucionária'; B - A racionalização das estruturas herdadas da colonização; C - Perspectivas abertas pela política de desenvolvimento económico preconizada pelo Estado caboverdiano;

- CONCLUSÃO;
- ANEXOS;
- Bibliografia;
- Abreviaturas usadas no texto;



ELISA SILVA ANDRADE:
"Economista, historiadora, é de nacionalidade caboverdiana. Viveu em Portugal, Argélia, Senegal, França, Angola e encontra-se actualmente em Cabo Verde onde faz consultoria para organismos do sistema das Nações Unidas e da cooperação bilateral. Investigadora em Ciências Humanas e Sociais, é autora de diversos trabalhos nomeadamente sobre a emigração caoverdiana e a condição feminina em África.
Participou em duas obras colectivas:
- 'Bourgs et villes em Afrique Lusophone', Ed. L'Harmattan, Paris 1989;
- 'Le rôle de l'Afrique dans la recontre des deux mondes (1492-1992)', Ed. UNESCO, Paris 1995."


Preço: 0,00; (Indisponível)

Sem comentários:

Enviar um comentário

APÓS A SUA MENSAGEM INDIQUE O SEU E-MAIL E CONTACTO TELEFÓNICO
After your message, please leave your e-mail address or other contact.