terça-feira, 6 de setembro de 2016

Moçambique & Descolonização - 07 de SETEMBRO de 1974 - Lote de 3 livros e 2 jornais da época - MUITO RAROS




Moçambique & Descolonização - Os acontecimentos do 7 de Setembro de 1974 em Lourenço Marques relatados por quem os viveu, 40 anos depois


07 de SETEMBRO de 1974 - Lote de 3 livros e 2 jornais da época.
1. - 'AQUI MOÇAMBIQUE LIVRE', de Ricardo Saavedra, Edição Livraria Moderna - África do Sul 1975;
2. - 'MOÇAMBIQUE - 7 DE SETEMBRO', de Clotilde Mesquitela, Edição A RUA - Lisboa 1977;
3. - 'OS DIAS DO FIM', de Ricardo Saavedra, Editora Casa das Letras - Lisboa 2014;
4. - 2 exemplares do jornal 'O DIÁRIO' de Lourenço Marques - Edições de 0 e 10 de Setembro de 1974;




1. - 'AQUI MOÇAMBIQUE LIVRE'
De Ricardo Saavedra
Edição Livraria Moderna
África do Sul 1975

Livro com 172 páginas, muito ilustrado (88 páginas com 167 fotografias e 10 ilustrações) e em muito bom estado de conservação.
De muito, muito difícil localização.
MUITO RARO.

Da contra-capa:
"TESTEMUNHO
Esta edição da Livraria Moderna tem a sonância de um grito na noite. Grito de aço que se prolonga, interminável, a ferir ouvidos do Mundo. Grito espontâneo, vizinho do medo, irmão do desespero, que engalfinha multidões. Que penetra vento agreste e o radioso solde Setembro. Grito que chora de alegria, eufórico adjectivo da Liberdade conquistada. Grito que sangra, mordido pelo remorso. Primavera sem manhã, pomba sem asas, paginação sem medida.

Esta edição consagra a coragem. É um documento vivo que homenageia milhares de mortos anónimos. Pedrada no charco, enlameia hoje o futuro. E é proibido lê-lo amanhã."



Do INDÍCE:
Nota do Editor;
Dedicatória;
Agradecimento e justificação;
Palavras loucas;
Introdução;

AQUI MOÇAMBIQUE LIVRE:
- O preço da traição;
- Antecedentes;
- Moçambicanos em Lisboa;
- 'Acordo de Lusaka';
- MML - Movimento de Moçambique Livre;
- Noventa horas de liberdade: o grito mais longo;
- Os reféns;
- Romaria de Liberdade;
- Horas dramáticas;
- Último Hino para cem mortos à hora;
- Frente de Libertação;

POSFÁCIO:
- Um capítulo que faltou;
- Quem vendeu Moçambique;
- De como nasce um exército comunista;
- E em Moçambique, entretanto?;
- Spínola e o '11 de Março';

PARA A BIBLIOGRAFIA DE UMA REVOLUÇÃO:
- O direito de revolta;
- Programa da Junta de Salvação Nacional;
- Ultramar - O centro das preocupações nacionais;
- Moçambique: Uma autodeterminação falseada?;
- Breves notas;
- Palavras do General Costa Gomes sobre Moçambique;
- Comunicado do Partido de Coligação Nacional;
- Texto do 'ACORDO DE LUSAKA';
- 'ACORDO DE LUSAKA': Um caso de ilegalidade constitucional;
- Em António enes: Depoimento de uma vítima;
- Os acontecimentos de Lourenço Marques;
- '7 de Setembro de 1974';
- Primeira reportagem distribuída pela Agência 'Lusitânia';
- O M.M.L. (Movimento Moçambique Livre) na cidade da Beira;
- Declarações do Primeiro Ministro português;
- 'OPERAÇÃO HOMEM';
- Apelo do General Costa Gomes;
- 'Carta Aberta' ao senhor General Costa Gomes;
- Reportagem que não saiu;
- Liberdade em horas de desespero;
- 'Manifesto ao Povo Português';
- O último discurso do General Spínola como Presidente da República;
- Spínola considerou supérflua a existência do M.F.A. como centro do poder;
- O Sr. General deu uma entrevista;
- Crise no governo de Portugal;
- A anarquia está varrendo o país;

Requiem para os brancos em Moçambique;
Samora Machel ataca o exército português: Generais corruptos e soldados drogados que a FRELIMO derrotou;
A confissão de Uria Simango;



2. - 'MOÇAMBIQUE - 7 DE SETEMBRO'
De Clotilde Mesquitela
Edição A RUA
Lisboa 1977

Livro com 262 páginas, ilustrado e em muito bom estado de conservação.
De difícil localização.
Raro

Da contra-capa:
"O 7 de Setembro foi o dia mais longo da nossa história. Setenta e duas horas vividas em plenitude da esperança e da angustia, na euforia da vitória e no sombrio desespero da derrota, da derrota de Portugal vitoriado até no assombro pelas vozes de pretos e de brancos, defendido até à exaustão pela exaltação de pretos e brancos.
Na densidade desse arranque e na agonia dessas lágrimas, foi também o derradeiro abraço da Nação - daqui partia para o exílio e da que ficava como permanente penhor de fidelidade e de sofrimento.
Este livro contém a cronologia dos acontecimentos que iluminaram e obscureceram essas horas: o seu Te Deum e o seu Requiem. Como num ritual litúrgico nele se oficia a alegria e a tristeza, a efusão e a dor, a esperança e o exílio. Homens, mulheres e crianças, pretos, mestiços, indianos, novos e velhos, iluminados de fé ou crispados de ódio, condensaram Portugal numa multidão paramentada para um destino trágico. Os antigos soldados envergaram os seus camuflados, as crianças vestiram-se de branco para festejar o amor que os tornou vigilantes e a indignação que os tornou ferozes.
Ao fim de setenta e duas horas, as mães arrebataram os filhos, os maridos correram ao lados das mulheres e procuraram à margem do país que os rejeitava o sacrifício que o redimisse."



Do ÍNDICE:

Capítulo I
Moçambique - 25 de Abril de 1974
Portugal - 25 de Abril de 1974

Capítulo II
O Sete de Setembro - 'AQUI MOÇAMBIQUE LIVRE'

Capítulo III
Da rendição ao exílio

a - PESSOAS
b - ORGANIZAÇÕES MILITARES
c - MOVIMENTOS UNIVERSITÁRIOS
d - PARTIDOS POLÍTICOS DE MOÇAMBIQUE



3. - 'OS DIAS DO FIM'
De Ricardo Saavedra
Editora Casa das Letras
Lisboa 2014

Livro com 428 páginas e como novo. Em excepcional estado de conservação.

Da contra-capa:
"Muito interessante, sobretudo naquilo que dá de continuidade e de acompanhamento da actividade de Jorge Jardim, realmente um Lawrence português. - Marcelo Rebelo de Sousa"

"Este livro jornalístico afronta a tradição do nosso romance. O recurso à escrita diarística, às súmulas cronísticas e aos textos anexos confere-lhe a simplicidade profunda dos estilos híbridos, seguindo os trâmites de um Truman Capote. - João de Melo"

"Esta história, mais do que um livro, merece um filme. Tem intriga, acção, espionagem, sexo e personagens fascinantes (...). Sobretudo assenta em diálogos muito bons. Enfim, pode dizer-se que é um autêntico guião, pronto a adaptar. - José Mário Silva"

"Escrito num estilo enxuto, sem grande adjectivação, e mantendo a cadência adequada, 'OS DIAS DO FIM' dão testemunho de um período concrecto da história de Moçambique, com referências bem fundamentadas a alguns episódios (e personalidades) que precipitaram a borrasca imperial. - Eduardo Pitta"


Do ÍNDICE:
PRÓLOGO
A marcha dos centuriões;

I - ABRIL - MAIO
Cravos não florescem no Índico;

Anexo 1 - O cansaço do guerreiro;
Anexo 2 - Confronto com o bode expiatório;
Anexo 3 - As abelhas e os zangões;

II - JUNHO
Quando os relógios andam para trás;

III - JULHO
Os Dragões do medo;

IV - AGOSTO
Entre a fuga e a violência;

Anexo 4 - A alternativa;
Anexo 5 - Pés-de-chumbo e champanhe;

V - SETEMBRO
Liberdade, apocalipse e êxodo;

Anexo 6 - A ferro e fogo;

VI - SEGUNDA QUINZENA
Obscuro exílio;

Anexo 7 - Suicídio ou crime?

O PRINCÍPIO DO APOCALIPSE EM 'OS DIAS DO FIM';
QUASE 40 ANOS DEPOIS;

Agradecimentos.



4. - 2 exemplares do jornal 'O DIÁRIO' de Lourenço Marques - Edições de 08 e 10 de Setembro de 1974
Originais de um dos jornais mais emblemáticos de Moçambique editados na então cidade de Lourenço Marques.
Edições completas e em muito bom estado de conservação.
Constituem um importante documento destes acontecimentos e da história recente de Moçambique e da descolonização.

a). - Jornal 'O DIÁRIO', n.º 19.548, de 08 de Setembro de 1974 (Domingo);
Assuntos em destaque:
1.ª página
- Depois de Lourenço Marques
POR TODA A PARTE EM MOÇAMBIQUE SOOU O "NÃO" EXPONTÂNEO È DECISÃO DE "ENTREGA" EM LUSAKA
'O Movimento da Liberdade, em boa hora lançado ao fim da tarde de ontem por um grupo de portugueses que desejam um Moçambique verdadeiramente livre, está a receber praticamente a adesão de toda a população deste portentoso estado do Índico, onde negros, brancos, mistos e asiáticos têm lugar para dar a sua quota-parte (e valiosa) colaboração para o engrandecimeto sócio-económico desta parcela portuguesa no continente africano.'
- O GEN. COSTA GOMES NUM APELO À POPULAÇÃO
- A BEIRA ADERE AO MOVIMENTO
- JORGE JARDIM E O MANDATO DE CAPTURA
Última página
- ALERTA MOÇAMBIQUE !
- TODOS UNIDOS POR UM MOÇAMBIQUE DE TODOS
- Excelente acção da 'RÁDIO MOÇAMBIQUE LIVRE'
- Texto do 'acordo de lusaka'
Nas páginas interiores
- 'ZECA RUÇO' EM LIBERDADE
- FORTE EXPLOSÃO NO PAIOL DE BENFICA
- ASSIM NASCE UM MOÇAMBIQUE LIVRE
(Reportagem fotográfica dos acontecimentos)
- IMPRESSIONANTE MANIFESTAÇÃO NA PRAÇA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE
Milhares de pessoas entoam o Hino Nacional
- 'FRELIMO': LEGÍTIMO REPRESENTANTE DO POVO DE MOÇAMBIQUE
Texto de Pinho Berreiros;
- A SITUAÇÃO EM MOÇAMBIQUE NA MADRUGADA E MANHÃ DE ONTEM
- A MATOLA DESDE A PRIMEIRA HORA LADO A LADO COM L. MARQUES
- TEM A PALAVRA O POVO
- O GENERAL COMANDANTE-CHEFE AGUARDADO EM L. MARQUES
- Aqui Rádio Moçambique Livre


b). - Jornal 'O DIÁRIO', n.º 19,550, de 10 de Setembro de 1974 (Terça-feira);
Assuntos em destaque:
1.ª página
7 de Setembro: O DIA MAIS LONGO
- DENTRO DE 48 HORAS O GOVERNO DE LISBOA RESPONDERÁ ÀS REIVINDICAÇÕES APRESENTADAS PELO MOVIMENTO DA LIBERDADE
Ontem junto à R.M.L.
- EXTRAORDINÁRIA CONCENTRAÇÃO HUMANA MANIFESTA-SE CALOROSAMENTE A FAVOR DO MOVIMENTO MOÇAMBIQUE LIVRE
- 'Tolerância, entendimentos, boa-vontade'
Última página
- DETURPAM-SE OS FACTOS EM ANGOLA
- CHEFE DO GOVERNO CONTINUA MAL INFORMADO
- LISBOA COMEÇA A APOIAR O MOVIMENTO MOÇAMBIQUE LIVRE
- A FALSA VERSÃO DA 'REUTER' SOBRE OS ACONTECIMENTOS EM MOÇAMBIQUE
- SOMOS OU NÃO PORTUGUESES?
- GOVERNO PORTUGUÊS MANTÉM CONTACTOS COM A FRELIMO
- 'POVO SOBERANO' - Por Tibério gil
Nas páginas interiores
- MOÇAMBIQUE LIVRE ALARGADO A TRIGO DE MORAIS
Em manifestação de apreço
- O 'DIÁRIO' JORNAL DO POVO? SIM - M. M. Cruz;
- A DETA ADERIU AO MML
- EDUARDO REBELO PEDE ASILO POLÍTICO À ZÂMBIA
- O PRODUTO DE UM DIA DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO DA LIBERDADE
- POPULAÇÕES NEGRAS ADEREM AO MML



Preço: 200,00€ (LOTE COMPLETO)

Sem comentários:

Enviar um comentário

APÓS A SUA MENSAGEM INDIQUE O SEU E-MAIL E CONTACTO TELEFÓNICO
After your message, please leave your e-mail address or other contact.