segunda-feira, 20 de junho de 2016

Angola & África - 'DIAS DE IRA', de Nelson Gatto - S. Paulo 1964 - MUITO RARO



Angola & África - Um dos livros mais verdadeiros sobre os ataques sangrentos da UPA em Março de 1961 no norte angolano


'DIAS DE IRA'
De Nelson Gatto
Edição Livraria Exposição do Livro
S. Paulo 1964


Livro com 268 páginas e em muito bom estados de conservação.
De muito, muito difícil localização.
MUITO RARO.


O autor esteve em Angola durante várias semanas, na qualidade de jornalista da imprensa brasileira e acompanhou colunas militares do exército português na reocupação das muitas localidades que haviam sido ocupadas (após os ataques mortíferos de 15 de Março de 1961), pelos guerrilheiros da UPA liderada então por Holden Roberto. E teve a ocasião de verificar as chacinas levadas a cabo contra a população branca, negra e mestiça, mulheres, velhos e crianças, com o objectivo único de espalhar o terror. Conviveu com inúmeros jovens oficiais portugueses, nomeadamente o célebre Alferes Robles, conheceu pessoalmente a saga de muitos resistentes contra o terror e relatou vários casos de heroísmo de civis que pegaram em armas para a sua auto-defesa e das suas famílias, vizinhos e amigos.

Uma parte significativa do livro é dedicada aos relatos da tragédia que foi imposta às populações do norte de Angola nos meados do mês de Março de 1961, tendo sido um dos jornalistas que mais cobertura dedicou aos acontecimentos, descrevendo o que testemunhou no terreno com pormenores e informações ainda hoje preciosas do ponto de vista informativo, documental e histórico. Estampou inclusive as designações de todas as fazendas alvo de ataques dos membros da UPA naqueles sangrentos dias !


Da badana:
"Neste livro o autor narra duas histórias verdadeiras desenroladas em diferentes zonas do conturbado continente negro. a primeira em Angola, na região do Congo e, a segunda, na Argélia, nos dias violentos que precederam a sua independência.

Acostumado a ver as coisas com olhos de repórter, ao mesmo tempo que relata os trágicos acontecimentos. Nelson Gatto traça um paralelo na luta travada nas duas regiões de condições geo-políticas-económicas completamente diferentes. Na África Ocidental portuguesa são 300 mil europeus tentando elevar o nível de vida de 6 milhões de nativos que vivem ainda em regime tribal, em estado primitivo, ao passo que na África do norte eram 10 milhões de criaturas humanas a pegar em armas para se libertar do jugo francês, sob o qual viveram por mais de um século. No território português do ultramar a luta foi fomentada por grandes potências interessadas no sub-solo de incalculáveis possibilidades da riquíssima província e mesmo os chefes dos grupos combatentes foram treinados no ex-Congo Belga; na Argélia a luta pela independência foi travada apenas por argelinos nacionalistas, que não receberam conselhos ou ajuda material do exterior. Angola não dispõe ainda das mínimas condições de surgir como um novo país, ao passo que a Argélia antes mesmo da guerra em que foi conquistada em meados do século passado, já era um Estado reconhecido por quase todas as nações do mundo.

Nelson Gatto vem-se especializando como correspondente de guerra. seu espírito aventureiro, seu apego ao jornalismo o têm arrastado aos quatros cantos do mundo, tendo percorrido a Europa, Ásia e África em missões jornalísticas que sempre executou com inteiro êxito. Foi correspondente de guerra para os 'Diários Associados do Brasil' no Oriente, onde acompanhou a luta travada entre árabes e judeus pela posse da Palestina; lutou nas ruas de Pangim quando Goa foi invadida por tropas da União Indiana e foi aprisionado, passando o Natal de 1961 num campo de concentração da Ásia; esteve no Congo Belga e em Angola, cobrindo os sangrentos acontecimentos em que, num único dia, no norte da província portuguesa, nada menos de 1,600 pessoas foram mortas e degoladas; fez cobertura da guerra na Argélia e de correspondente de guerra se transformou num soldado ao lados das forças nacionalistas. (...)

Com sua experiência de repórter Nelson Gatto narra neste livro, lançado pela 'Exposição do livro', duas histórias que retratam a África dos dias de hoje'

Luiz Monteiro."



Do ÍNDICE:

ANGOLA: OS DIAS DA IRA
- A marcha dos bárbaros;
- Cabeças humanas espetadas em varas;
- Política de terra arrasada;
- Heroísmo de um mestiço;
- Chacina;
- Trágico balanço;
- Razões da revolta;
- A morte do alferes Motta da Costa;
- Quimba;
- Os Vingadores;
- ONU, Coreia e Angola;
- Armadilga;
- Vila do Songo;
- Enfermeiros linchados;
- O sargento Gunga;

ARGÉLIA SANGRENTA
- O Saara;
- Orã: uma esteira de mortos;
- Civis massacrados;
- Julgamentos: Salan; - Jouhad; - Degueldre;
- Energia solar no Saara;
- Terra arrasada;
- Encontro com Ben Bella;
- O cessar-fogo em todas as frentes;



Preço: 0,00€; (Indisponível)

Sem comentários:

Enviar um comentário

APÓS A SUA MENSAGEM INDIQUE O SEU E-MAIL E CONTACTO TELEFÓNICO
After your message, please leave your e-mail address or other contact.