quarta-feira, 6 de abril de 2016

Angola & Colonialismo - 'CABINDA - De Chinfuma a Simulambuco', de António Dias Madureira - Lisboa 2001 - RARO




Angola - A história das relações entre os cabindas, Portugal e Angola.


'CABINDA - De Chinfuma a Simulambuco'
De António Dias Madureira
Edição ESTAMPA
Lisboa 2001


Livro com 276 páginas, ilustrado e como novo. Em excelente estado de conservação.
De difícil localização.
RARO.


Da contra-capa:
"A presente obra é um estudo da presença de Portugal em Angola, até finais do século XIX, bem como das relações que ao longo do tempo se estabeleceram entre Cabinda, angola e Portugal.
Analisa de forma minuciosa os tratados de protectorado cabindas, nomeadamente o tratado de Simulambuco, procurando clarificar a sua importância histórica no contexto africano, em geral, e angolano, em particular."



Do ÍNDICE:
- Agradecimentos;
- Abreviaturas;

INTRODUÇÃO
I. CABINDA - DA ORIGEM AO SÉCULO XIX;
- A terra;
- O Homem;
- Definição de espaço;
- Primeiros contactos com os portugueses;
- Contactos com outros povos;
- Evolução política, social e económica;
-- Evolução política e sociual; -- Evolução económica;
-- Uma economia de subsistência; -- Cabinda, terra de escravos; -- Os europeus e o tráfico de escravos; -- Portugal e o comércio de escravos em Cabinda;
- A ocupação portuguesa;
-- Início da ocupação portuguesa; -- Portugal expulsa os ingleses; -- A necessidade de ocupação efectiva; --A França e a liberdade de comércio; -- A acção política como meios de ocupação;
- Influências religiosas;
-- Início da evangelização; -- Evangelização do enclave de Cabinda; -- A Missão de Lândana; -- A primeira Missão portuguesa em Cabinda;

II. ÁFRICA E AS GRANDES POTÊNCIAS
- Disputa da África ao sul do equador;
- O nascimento da Sociedade de Geografia;
-- O aparecimento da Sociedade de Geografia de Lisboa;
- Leopoldo II;
-- Leopoldo II e a Associação Internacional Africana; -- Leopoldo II e o Comité de Estados do Alto Congo; -- Leopoldo II e os exploradores africanos;
- A questão de Ambriz, Molembo e Cabinda;
- A questão do Zaire;
- A Conferência de Berlim;
- Interpretações acerca da partilha de África;
-- Teorias económicas; -- Teorias psicológicas; -- Teorias diplomáticas; -- Teorias da dimensão africana;

III. CABINDA ENTRE OS ANOS DE 1880 e 1885
- Importância económica;
-- Sector primário; -- Sector secundário; -- O mar e a emigração; -- As vias fluviais; -- As casas comerciais (Importância económica) e (Importância política e social); -- O comércio de armas;
- Protagonismos políticos-sociais;
-- Cabinda e os seus príncipes (Insígnias reais) e (Insígnias dos membros do governo, dos cortesãos, dos nobres, dos chefes); -- Privilégios dos príncipes; -- Castigos aplicados aos príncipes; -- Os europeus e os príncipes cabindas;
- Franques e Punas;
-- Franques; Punas (Um nativo amigo de Portugal) e (O Reconhecimento de Portugal);
- Padre António Maria Hipólito Carrie;
-- O Homem; -- O político ao serviço da França;
- O Visconde de Cacongo;
-- O Homem, o político e o patriota; -- O Reconhecimento de Portugal;
- Influência do sector missionário;
-- Importância política e económica das missões; -- Antagonismos de natureza político-religiosa; -- Lândana - Um missão ao serviço da França (Uma comunidade franco-indígena), (Lândana e os interesses franceses), (A Missão de Lândana vista pelos residentes) e (Lândana e os portugueses);
- Missionação portuguesa em Cabinda;
-- Estabelecimento da Missão Portuguesa em Cabinda;

IV. CABINDA E O ESPAÇO ANGOLANO
- Limites geográficos;
- Administração;
- Emigração para Angola;
- Cabinda terra disputada;
-- Tensão e intriga; -- Papel de Portugal; -- A pressão inglesa; -- Disputa luso-britânica; -- Ambições francesas; -- Outras ambições;

V. CABINDA NA ÓRBITA DO DOMÍNIO PORTUGUÊS
- Geografia e política externa;
-- Cabinda e os acordos internacionais (Acordos com a Inglaterra) e (Acordos com a França e outros países);
- Cabinda e a política interna portuguesa;
-- O século XIX; -- A sociedade civil e as colónias; -- Apelos à ocupação;
- Ocupação efectiva;
- Cabinda e os textos constitucionais;
- As forças navais como instrumento de soberania;
-- A importância política das forças navais; -- As forças navais portuguesas; -- As comunicações marítimas;
- A língua como suporte da soberania;
- As bandeiras e os correios como símbolos de soberania;
-- As bandeiras; -- Correios;

VI. OS TRATADOS DE PROTECTORADO
- As relações entre a Europa e a África nos finais do século XIX;
- Os europeus e seus protectorados;
-- Protectorados ingleses; -- Protectorados franceses; -- Stanley e os tratados;
- A necessidade de pedido e oferta de protecção;
- Os Protectorados Cabindas;
-- Sua origem; -- Protectorado de Chinfuma; -- Protectorado de Chicambo e a fronteira norte; -- O Protectorado de Simulambuco; -- Outros Protectorados; -- Reacções estrangeiras;
- Porquê a protecção Portuguesa?
-- Razões políticas e culturais; -- Importância do espaço angolano;
- Protectorados ou Sobados;
- Ferreira do Amaral e os protectorados em Cabinda;
- Perspectivas envolventes dos tratados;
-- Analogias e discrepâncias; -- Direitos e obrigações recíprocas;

CONCLUSÃO

FONTE E BIBLIOGRAFIA
A. Fontes:
1. - Fontes manuscritas;
2. - Fontes impressas;
B. Bibliografia:
1. - Bibliografia geral;
2. - Bibliografia específica;
C. Revistas e periódicos;

ANEXOS
Anexo I - Reinos a norte do rio Zaire;
Anexo II - Limites ou faixa de 'statu quo';
Anexo III - Materialização territorial dos tratados de protectorado;
Anexo IV - Tratados:
- Tratado de Chinfuma (1883);
- Tratado de Chicamba (1884);
- Tratado de Simulambuco (1885);
- Tratado de Fatila (1885);
- Tratado de Moanda (1885);



Preço: 47,50€

Sem comentários:

Enviar um comentário

APÓS A SUA MENSAGEM INDIQUE O SEU E-MAIL E CONTACTO TELEFÓNICO
After your message, please leave your e-mail address or other contact.