segunda-feira, 28 de março de 2016

Angola & UNITA - 'O DESAFIO DE SAVIMBI', de João Rosa - Lisboa 1980 - MUITO RARO




Angola - A UNITA liderada por Jonas Savimbi e os assuntos 'quentes' da guerra colonial e descolonização


'O DESAFIO DE SAVIMBI'
De João Rosa
Edição Agência Portuguesa de Revistas
Lisboa 1980


Livro com 160 páginas e em muito bom estado de conservação.
De muito difícil localização.
MUITO RARO.


Da autoria do jornalista João Rosa, que foi grande-repórter do semanário 'TEMPO' que se editou em Lisboa após a revolução de 25 de Abril de 1974 e que acompanhava o desenrolar dos acontecimentos da descolonização e particularmente da guerra civil em Angola, tendo entrevistado por várias ocasiões o líder da UNITA, Jonas Malheiro Savimbi.


Dedicatória:
"À memória de todos os portugueses, civis e militares milicianos, e todos os angolanos, de qualquer movimento de libertação, que antes pereceram, vítimas da criminosa guerra colonial de Salazar e Caetano."

"À memória de todos os portugueses e angolanos depois atraiçoados e chacinados pela criminosa descolonização urdida pelo '26 de Abril'."

"À memória de todos os angolanos que, nas fileiras da UNITA ou de qualquer outra forma, ainda agora continuam e lutar e a morrer pela real e total independência de Angola, contra o criminoso jugo soviético-cubano."


Do ÍNDICE:
- PREFÁCIO - João Rosa - 4 de Maio de 1980;

- DITOS E MEXERICOS "PIDESCOS" DE UM CAPITÃO SO COLONIALISMO;

- JONAS SAVIMBI DESMENTE;
De quando e como começou a 'campanha de desprestígio da UNITA', comandada pelo MPLA e com a colaboração dos militares portugueses;
Colaboração com as autoridades portugueses e a PIDE/DGS: "NÃO ! ABSOLUTAMENTE NÃO!";
Acusação do capitão Sousa e Castro: "FALSO ! ABSOLUTAMENTE FALSO !";
Colaboração com as autoridades militares: "NÃO, SENHOR ! NEM ISSO.";
O CASO DOS CONTACTOS COM OS MADEIREIROS;
Documentos com a assinatura de Savimbi: "SÃO FALSOS ! ABSOLUTAMENTE FALSOS.";

- SE ESTE GOVERNO TIVESSE VERGONHA:
"Eduardo dos Santos está a reconciliar-se com os adversários de Neto";
"Os cubanos estão a aumentar";
"Os soviéticos querem testar a vontade Ocidental de se lhes opor";
"Há um ressurgir da vontade americana de resistir ao expansionismo soviético";
"A situação de Angola condiciona qualquer solução pacifica naquela área";
"Depois da morte de Agostinho Neto aumentaram os amigos africanos da UNITA";
"Sem combate armado pouco útil será tudo o mais que se faça";
"Um ponto de partida indiscutível: a retirada dos cubanos";
"Não haverá ninguém capaz de substituir os portugueses em Angola";
Esperança na mudança havida em Portugal;
A hipótese de visitar Portugal;
As acusações de antiga colaboração com Portugal;

- NETO JÁ TINHA CEDIDO A ENCONTRAR-SE COM SAVIMBI;
- 'VIVA LA MUERTE" DOS DITADORES !;
- PROVA DE GUERRA QUE O MPLA ESCONDE;
Entrevista com Rui Manuel Marinheiro de Oliveira
(Português e simpatizante do MPLA capturado pela UNITA no Lobito)
"Uma patifaria do MPLA em que as autoridades portuguesas também estão a colaborar";
"Estruturas organizativas da UNITA nas matas: "AQUILO É A SÉRIO!";
"As populações ajudam a UNITA, odeiam os cubanos e têm saudades dos portugueses";
Material da UNITA confirma apoio de alguns países africanos, mas a principal fonte de financiamento são os diamantes angolanos;
Do Caminho de Ferro de Benguela às pistas de aviação da UNITA;
Como as FAPLA capturaram alguns prisioneiros à UNITA;
A CAPTURA PELO MPLA;

- ANEXOS:
- A primeira e histórica entrevista que Jonas Savimbi concedeu a um jornalista português depois da "independência" de Angola (Dacar, 08 de Janeiro de 1979);
"AS DIVERGÊNCIAS COM O MPLA SÃO ANTERIORES AO 25 DE ABRIL";
"JÁ O REGIME SALAZARISTA-MARCELISTA MARGINALIZAVA A UNITA";
Estranheza por o MFA ter facilitado um neo-colonialismo;
"AS POPULAÇÕES OPTARAM PELA PORTUGALIDADE NA FÓRMULA PRECONIZADA PELO PRESIDENTE SPÍNOLA";
"AQUANDO DO 25 DE ABRIL OS MOVIMENTOS DE LIBERTAÇÃO ENCNTRAVAM-SE NUMA POSIÇÃO DE FRAQUEZA";
"ESTAVAM DECIDIDOS A ARMAR TODOS AQUELES QUE RECONHECIAM O PERIGO DA EXPANSÃO COMUNISTA";
"AQUELES QUE HOJE ESTÃO DISPOSTOS A PERDER A VIDA É PORQUE ESTÃO DISPOSTOS A PERDER TUDO";
"HÁ UMA VONTADE DE UNIDADE PATRIÓTICA EM ANGOLA";
"A UNITA JÁ ESTÁ PRESENTE EM 11 DAS 16 PROVÍNCIAS DE ANGOLA E, EM 5 DESSAS, COM ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA";
"SÃO SO 28 MIL CUBANOS QUE FAZEM A BALANÇA PENDER A FAVOR DO MPLA";
"TEMOS SOMADOS MAIS ALIADOS, MAIS MATERIAL E MAIS AJUDAS EM GERAL";
"A CHINA VAI DESEMPENHAR UM PAPEL ANTI-RUSSO, DO QUE A UNITA PODERÁ VIR A BENEFICIAR";
"SÓ COM TÉCNICOS PORTUGUESES OS MEIOS FINANCEIROS DO OCIDENTE PODERÃO SER EFICAZES EM ANGOLA";
"A SITUAÇÃO CRIADA PELA CIMEIRA DE BISSAU NÃO É IRREVERSÍVEL";
"A OPINIÃO PÚBLICA PORTUGESA NÃO ESTÁ DEVIDAMENTE INFORMADA SOBRE O QUE SE PASSA EM ANGOLA";
"A PAZ DO ANIQUILAMENTO DA UNITA É IMPOSSÍVEL";
"O CASO DOS PRISIONEIROS PORTUGUESES DA UNITA";
O QUE É "MUITO MAIS IMPORTANTE DO QUE SER BRANCO, PRETO OU MESTIÇO";
"ANGOLA PRECISARÁ DE TODO O CONJUNTO DE PESSOAS QUE TORNOU A NOSSA ECONOMIA VIÁVEL";
"O PROBLEMA DA FOME RESOLVE-SE COM A PAZ";
"NINGUÉM QUIS NUNCA ENTRAR EM COMPETIÇÃO ELEITORAL COM A UNITA";
"NETO ESTÁ EM MARÉ DE CAPTAR AS SIMPATIAS DO OCIDENTE";
DESFASAMENTO ENTRE OS CUBANOS E AS FAPLA.
"NÃO QUEREMOS QUE O POVO DE CABINDA VEJA OS ANGOLANOS COMO NOVOS IMPERIALISTAS";
"TODOS OS DIRIGENTES DA UNITA SE ORGULHAM DE FALAR PORTUGUÊS E DO SEU PASSADO";
NO ALVOR: "SENTIMOS, DA PARTE DA DELEGAÇÃO PORTUGUESAS, A VONTADE DE SIMPLEMENTE ABANDONAR";

- Documentos secretos das autoridades colonialistas portuguesas sobre a actuação da UNITA na guerra;
A UNITA "EM POSIÇÃO DE DESTAQUE NO CONJUNTO DOS MOVIMENTOS VIOLENTOS QUE ACTUAM NESTA PROVÍNCIA";
"NÃO HAVENDO INDÍCIOS DE QUE A POSIÇÃO DE SAVIMBI FOSSE CONTESTADA";
JÁ DEPOIS DO "25 DE ABRIL" EM PORTUGAL: A UNITA CONTRA GRUPOS DE REACCIONÁRIOS EM ANGOLA;
"EVOLUÇÃO DA ACÇÃO SUBVERSIVA DA UNITA EM ANGOLA";
1. - SAVIMBI E AS ORIGENS DO MOVIMENTO;
2. - ORGANIZAÇÃO E QUADROS;
3. - ACTIVIDADES DO MOVIMENTO;
4. - CONCLUSÕES E PERSPECTIVAS;



Preço: 60,00€

Sem comentários:

Enviar um comentário

APÓS A SUA MENSAGEM INDIQUE O SEU E-MAIL E CONTACTO TELEFÓNICO
After your message, please leave your e-mail address or other contact.