segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Guerra colonial - 'TROPAS PÁRA-QUEDISTAS (A História dos Boinas Verdes Portugueses 1955-2003)', de Miguel Machado e António Carmo - Lisbao 2003 - Raro




Guerra colonial - A história dos para-quedistas portugueses nas Forças Armadas nos últimos 50 anos


'TROPAS PÁRA-QUEDISTAS (A História dos Boinas Verdes Portugueses 1955-2003)'
De Miguel Machado e António Carmo
Edição Prefácio
Lisboa 2003


Livro com 1304x páginas, ilustrado e como novo.
De difícil localização.
Raro.


Da contra-capa:
"Não foi pacífico no seio das Forças Armadas Portuguesas e aparecimento de uma nova unidade militar - o Batalhão de Caçadores Para-quedistas (BCP) - que só a extraordinárias força e perseverança dos seus fundadores, aliadas à correcta e inteligente visão de alguns políticos, conseguiu erguer.
Elite operacional por excelência, os "páras" foram pioneiros na criação e adopção de tradições militares, procedimentos, uniformes e distintivos, até à data totalmente ignorados em Portugal.
A instrução de para-quedismo transmitia e transmitirá sempre, aos que por ela passaram, autoconfiança, desembaraço físico, individualismo e uma disciplina que ao longo dos anos permitiu aos mais de 42,000 portugueses que conquistaram o inalienável direito de usar a mítica "boina verde", ultrapassar adversidades e manter viva a organização pára-quedista."



Sinopse:

"A instrução de pára-quedismo transmitia e transmitirá sempre, aos que por ela passaram, autoconfiança, desembaraço físico, individualismo e uma disciplina que ao longo dos anos permitiu aos mais de 42.000 portugueses que conquistaram o inalienável direito de usar a mítica "boina verde", ultrapassar as adversidades e manter viva a organização pára-quedista...

Apresentação:
Um olhar atento pelo mercado editorial nacional vem demonstrar, indiscutivelmente, que esta temática proporciona «aos leitores uma visão abrangente, das diferentes vertentes das Histórias de Guerra e das matérias que dela fazem parte» das Forças Armadas Portuguesas.

Seguindo a actual tendência para a valorização destes trabalhos de pesquisa histórica, o livro de Miguel A. G. Silva Machado e António E. S. Carmo – dois dos fundadores do 'Operacional', ambos militares pára-quedistas e colaboradores, há mais de duas décadas, de inúmeras revistas especializadas nacionais e estrangeiras –, preenche uma lacuna sentida desde há muitos anos por uma organização de elite que este ano (23 de Maio de 2008) comemorará, o 53º aniversário da sua criação oficial: as Tropas Pára-quedistas.

Editada em 2003 e reimpressa em 2004, a obra é constituída por três grandes capítulos e três anexos.

No primeiro capítulo o leitor «irá encontrar, através da história, organização, armamento, uniformes e insígnias, o nascimento e desenvolvimento do pára-quedismo militar em Portugal, entre 1955 e 1974.

No segundo capítulo são abordadas as questões relativas ao processo de descolonização (1974) e as «vicissitudes do processo político português que quase ditaram a extinção das Tropas Pára-quedistas».

No terceiro capítulo são revistos alguns aspectos referentes ao controverso processo de transferência das Tropas Pára-quedistas da Força Aérea para a tutela do Exército, bem como a activação e implementação das novas unidades: o Comando das Tropas Aeroransportadas e a Brigada Aerotransportada Independente.

A finalizar, referência muito especial para o «Anexo C» (pág.115 e seguintes), onde o leitor poderá rever (a cores) toda a história das insígnias e distintivos que as TROPAS PÁRA-QUEDISTAS usaram, nos seus vários uniformes, de 1955 até aos nossos dias.

O livro, escrito numa linguagem simples e acessível aos "vários públicos", francamente atraente e abundantemente documentado (com algumas fotos inéditas), tem a chancela da Editora Prefácio (Lisboa).

Apesar de não ser a "história oficial das Tropas Pára-quedistas Portuguesas" – como afirmam categoricamente os seus autores –, esta obra, pela lacuna que preenche no mercado editorial nacional e militar, já é uma referência incontornável para todos aqueles que pretendem entrar, com rigor histórico, no "mundo das unidades de elite portuguesas" e, muito especialmente para todos aqueles cidadãos que tiveram a honra de usar a mítica boina «verde caçadores pára-quedista."


In - http://www.operacional.pt/%C2%AB-tropas-para-quedistas-a-historia-dos-boinas-verdes-portugueses-1955-2003-%C2%BB


Do ÍNDICE:
- PREFÁCIO:

PRIMEIRO CAPÍTULO
Os primeiros Pára-quedistas Militares Portugueses
- ALCANTARILLA
- CRIAÇÃO DA PRIMEIRA UNIDADE
- PRIMEIRAS MISSÕES OPERACIONAIS
- CAPELÃES, MÉDICOS E ENFERMEIRAS ESPECIALIZADOS EM PÁRA-QUEDISMO
- GUERRA EM ÁFRICA
- ORGANIZAÇÃO
- ARMAMENTO E EQUIPAMENTO

SEGUNDO CAPÍTULO
Revolução em Lisboa
- TEMPOS CONTURBADOS
- CORPO DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS
- REESTRUTURAÇÃO E MODERNIZAÇÃO
- PESSOAL
- MATERIAL
- UNIFORMES
- ESQUIPAMENTO
- CÃES MILITARES
- INFRA.ESTRUTURAS
- TREINO OPERACIONAL
- O CORPO DE TROPAS PÁRA-QUEDISTAS NOS ANOS 90

TERCEIRO CAPÍTULO
Processo de transferência
- COMANDO DAS TROPAS AEROTRANSPORTADAS
- PESSOAL
- MISSÕES DE APOIO À PAZ
- ACTUALIDADE

ANEXOS
Anexo A
Anexo B
- GLOSSÁRIO DE ABREVISTURAS
- SUPORTE DOCUMENTAL
Anexo C
- INSÍGNIAS E DISTINTIVOS.



Preço: 37,50€

Sem comentários:

Enviar um comentário

APÓS A SUA MENSAGEM INDIQUE O SEU E-MAIL E CONTACTO TELEFÓNICO
After your message, please leave your e-mail address or other contact.